Não é apropriação cultural, é "admiração cultural". Rita Pereira põe um ponto final na polémica

20 jul, 00:19
Rita Pereira (DR - Instagram)

A atriz portuguesa diz ser "ativista em relação ao racismo" e quer que a questão da aceitação da cultura capilar na sociedade seja abordada

Foi a polémica da semana. Rita Pereira partilhou uma publicação no Instagram onde dançava ao som de "Filha da Tuga" e mostrava o seu novo penteado, com "twist braids", tradicionalmente usadas pelas mulheres negras.

Depois de vários comentários que a acusaram de apropriação cultural, a atriz publicou um comunicado no Instagram onde começa por afirmar que se manifesta contra o racismo, um tópico que considera ser “um assunto tabu” em Portugal.

Rita Pereira prossegue dizendo que por “respeitar, admirar e honrar a cultura africana” e por ser “ativista em relação ao racismo”, faz com que a situação não seja apropriação cultural “mas sim admiração cultural”.

“O facto de eu usar tranças ou twists é, no meu ver uma valorização, uma admiração, respeito e acima de tudo faz parte da globalização”, afirma a atriz.

A publicação termina com o desejo de que esta polémica possa trazer para praça pública a questão da aceitação da cultura capilar na sociedade. 

 

Relacionados

Artes

Mais Artes

Patrocinados