Embrace the future

The world as we want it to be

21 novembro 2022

Myriad Crystal Center, Lisboa

Main sponsors

É o clima e não a Ucrânia a notícia mais importante do ano: Richard Quest

21 nov, 16:33
Richard Quest, jornalista da CNN, na CNN Portugal International Summit (CNN Portugal)

O repórter da CNN Internacional garante que as alterações climáticas são a notícia mais importante a receber cobertura, no entanto, considera que 2023 irá ser um ano muito dificil económicamente

O jornalista da CNN Richard Quest defendeu esta segunda-feira que, embora a guerra na Ucrânia tenha sido um dos temas que dominaram as notícias de 2022, este evento não foi o mais importante do ano.

Em intervenção na CNN Portugal Summit, o jornalista disse que era impossível prever a guerra na Ucrânia. "Se eu vos dissesse que ia haver uma guerra na Europa e que ía ser a maior desde a Segunda Guerra Mundial, vocês não iam acreditar" mas "nós tínhamos de estar lá, tínhamos de mostrar". Contudo, o jornalista defendeu que “as alterações climáticas são a notícia mais importante" que os jornalistas podem cobrir.

Richard Quest explicou que é responsabilidade da comunicação social explicar o contexto do conflito na Ucrânia e a importância e a gravidade que isso tem para a ordem mundial. Neste sentido, Ted Turner, fundador da CNN Internacional, disse "gastem o que vocês quiserem para cobrir este evento".

No entanto, "o ano de 2023 vai ser um ano muito difícil economicamente”, garante Richard Quest, “e é aqui que conseguimos boas histórias”.

Em reação à passada cimeira climática, a COP27, o jornalista criticou o funcionamento destes encontros. Neste tipo de eventos, “as pessoas reúnem-se, definem um prazo, adiam o prazo, reúnem-se novamente e tentam chegar a acordo e, eventualmente, chega-se a um acordo que não satisfaz” plenamente nenhuma das partes envolvidas. 

Quando questionado quanto ao porquê de ser jornalista, o repórter da CNN Internacional respondeu assim: "Porque eu quero contar às pessoas o que aconteceu" - e garante ser um privilegiado por ter feito parte de "grandes histórias" ao longo da carreira. 

Nesta edição