Cães reais já têm casa. Os corgi da rainha vão ficar com o príncipe Andrew e Sarah Ferguson

CNN Portugal , FMC
11 set, 22:24

A rainha ficará para a história, assim como os mais de 30 cães corgi que foram acompanhando as mais diversas etapas do reinado. Com a morte de Isabel II,  Muick e Sandy tornaram-se parte da herança. Ficam com um dos filhos e a ex-mulher

Depois da morte da rainha, uma das questões que tem sido colocada pelo povo britânico é esta: com quem ficariam os corgi Muick e Sandy, o dorgi Candy e a cocker spaniel Lissy? Estes são os cães amados pela rainha Isabel II. Foi agora confirmado que, pelo menos, os dois corgi já têm lar: vão ficar com o príncipe Andrew e com a sua ex-mulher Sarah Ferguson.  

Apesar de estarem divorciados desde 1996, o duque e a duquesa de York ainda vivem juntos na Royal Lodge em Windsor. "A duquesa criou laços com Sua Majestade através dos passeios dos cães e montar a cavalos, e mesmo depois do divórcio, ela manteve uma grande amizade com a Sua Majestade através dos passeios dos cães em Frogmore enquanto falavam uma com a outra", contou uma fonte ao The Telegraph esta semana, citada pelo The Guardian.  

Por outro lado, o biógrafo real, Ingrid Seward, já tinha dito no sábado, face à especulação sobre os caninos, que "parecia o mais lógico que os corgi fossem para Andrew". "Vamos ser honestos, ele não tem mais nada para fazer", comentou. Recorde-se que o terceiro filho da rainha foi afastado dos seus deveres reais, em 2020, depois de ter sido acusado de agressão sexual, alegações que o duque de York negou veementemente.  

Sendo que os cães, especialmente os da raça corgi, foram uma parte constante da vida da rainha, o futuro dos cães reais levou a grandes dúvidas e especulações pelo Reino Unido. Ainda assim, fica a dúvida do que acontecerá a Candy, uma dorgi (cruzamento de corgi com dachsund), e Lissy, uma cocker spaniel, que também faziam parte da família canina.  

Isabel II não escondia a paixão pelos cães (Getty Images)

Imagem de marca

Ao longo do reinado, os corgi tornaram-se numa imagem de marca da monarca, que se fez acompanhar em diversos momentos históricos pelos seus fiéis companheiros - e por quem a rainha sempre expressou o seu amor. "Os corgi são família", chegou a afirmar. Ao longo do reinado, foram mais de 30 os corgi que passaram na Casa Real, a maioria descendia da primeira cadela que teve, Susan, oferecida pelo pai no seu 18º aniversário. O último desta linhagem morreu em 2018, mas nem por isso, a rainha abdicou de manter os "baixinhos", de pernas curtas e orelhas arrebitadas na sua vida. 

Os caninos apareciam em várias fotografias oficiais e chegaram a surgir em acontecimentos memoráveis e surpreendentes, como é o caso do vídeo de apresentação dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, onde a rainha e os corgi Monty, Willow e Holly participaram juntamente com o ator Daniel Craig.  

Os dois que, agora, mudam de dono, foram oferecidos. Muick, apelidado graças ao lago de Muick da propriedade de Balmoral, foi oferecido em 2021 pelo príncipe Andrew. Já Sandy foi oferecida pelas princesas Beatrice e Eugenie no seu penúltimo aniversário, depois da rainha ter perdido Fergus, um dorgi, em maio de 2021.  

Europa

Mais Europa

Patrocinados