Rei Carlos III vende 14 cavalos que eram da mãe

25 out, 10:12
Rainha Isabel II

Isto não significa o fim da ligação da família real às corridas de cavalos. "Sua Majestade está apenas a fazer o que os proprietários fazem todos os anos", garantiu o porta-voz da leiloeira

O rei Carlos III está a vender alguns dos cavalos de corrida que herdou da sua mãe. Além de uma boa cavaleira e entusiasta de corridas, a rainha Isabel II era uma conceituada criadora de cavalos de corrida.

A casa de leilões Tattersalls em Newmarket anunciou que, esta semana, está vender 14 cavalos da rainha. Entre eles está o Love Affairs, treinado por Clive Cox de Lambourn, em Berkshire, que foi o último vencedor da rainha em Goodwood, dois dias antes da sua morte.

No leilão desta semana, a Tattersalls está a vender cerca de 1.500 cavalos. O porta-voz da Tattersals, Jimmy George, garantiu à BBC que esta venda não é especial: "Não é nada fora do comum. Todos os anos eles vendiam cavalos. A rainha tinha as suas próprias éguas, criava-a e vendia-as. Não se pode ficar com todas".

A venda não significa, por isso, o fim da ligação da família real com as corridas de cavalos: "Sua Majestade está apenas a fazer o que os proprietários fazem todos os anos."

Foi do seu pai, o rei George VI, que a rainha herdou o Royal Stud, um centro de criação de cavalos de corrida em Sandringham que produziu muitos dos seus vencedores.

O seu conselheiro para as corridas, John Warren, explicou uma vez que os cavalos eram uma “tremenda fuga” de outras tarefas e a rainha acabou por ser uma das grandes impulsionadoras das corridas britânicas. "Tenho certeza de que se a rainha não tivesse sido criada para ser uma monarca, ela teria encontrado uma vocação relacionada com cavalos", disse.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados