Distúrbios com detidos armados em centro de migrantes no Reino Unido

Agência Lusa , DCT
5 nov, 12:20
Polícia britânica

Segundo a AFP, os detidos saíram dos quartos para o pátio, na posse de várias armas, avançam vários meios de comunicação locais, que especificam que nenhum detido fugiu das instalações e que ninguém ficou ferido

Vários detidos causaram hoje distúrbios num centro de detenção de migrantes, no oeste de Londres, durante um corte de energia, disse o Ministério da Administração Interna.

“Houve um corte de energia no centro de detenção de migrantes Harmondsworth, localizado perto do aeroporto de Heathrow, em Londres. A questão está a ser resolvida. Estamos cientes da interrupção no centro e as autoridades envolvidas foram notificadas e estão no local”, indicou o Ministério.

Segundo a AFP, os detidos saíram dos quartos para o pátio, na posse de várias armas, avançam vários meios de comunicação locais, que especificam que nenhum detido fugiu das instalações e que ninguém ficou ferido.

Este incidente surge depois de uma semana já complicada para o Governo britânico, pressionado pela gestão do afluxo de migrantes e com revelações sobre o centro de acolhimento de Manston, sobrelotado com mais de 4.000 pessoas detidas, para uma capacidade de 1.600 lugares.

Adicionalmente, um homem lançou dispositivos incendiários noutro centro de detenção, perto de Dover, tendo sido depois encontrado morto.

O dossiê é sensível para os conservadores no poder, que prometeram que o ‘Brexit’ permitiria um melhor controlo das fronteiras.

A secretária de Estado Suella Braverman gerou polémica quando chamou de “invasão” ao fluxo de migrantes que chegam ao Reino Unido em pequenos barcos, no início desta semana, no Parlamento.

Braverman questionava-se sobre as reais motivações de albaneses chegados ao Reino Unido, despertando protestos da oposição, da ONU e do Governo albanês.

De acordo com dados recentes, cerca de 40.000 pessoas cruzaram o Canal da Mancha, para chegar ao Reino Unido, desde o início do ano, dos quais 12.000 albaneses, o que representa um ‘recorde’.

No passado domingo, por volta das 11:20 (mesma hora em Lisboa), vários dispositivos incendiários foram lançados num centro de acolhimento de migrantes, em Dover, no sul de Inglaterra.

Este ataque com engenhos incendiários a um centro de acolhimento de migrantes em Dover, no sul de Inglaterra, no domingo, foi classificado de “ato terrorista”, disse este sábado a polícia britânica encarregada da investigação.

“Tendo analisado as provas recolhidas até agora, e embora haja fortes evidências que indicam que a saúde mental [do suspeito] é certamente um fator, estou convencido de que as ações do suspeito foram motivadas, sobretudo, pelo extremismo ideológico, o que corresponde à definição de ato terrorista ”, disse o oficial da polícia antiterrorista britânica, Tim Jacques, em comunicado enviado à comunicação social.
 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados