Demitiu-se funcionário que investigava festa ‘ilegais’ em Downing Street

Agência Lusa , BCE
18 dez 2021, 00:22
Covid-19 no Reino Unido
Covid-19 no Reino Unido

A decisão surge depois de notícias que davam conta de que o mesmo funcionário esteve presente numa das celebrações e consumiu bebidas juntamente com os restantes funcionários presentes

PUB

O chefe dos serviços civis no Reino Unido renunciou esta sexta-feira à tarefa de investigar as festas de Natal em Downing Street, que terão violado as regras de combate à covid-19, após o seu nome ter sido ligado a uma destas celebrações.

Simon Case tinha sido nomeado pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, para investigar as três alegadas festas de Natal de funcionários públicos em 2020.

PUB

Na altura, Londres estava sob confinamento e não eram permitidas festas sociais em espaços fechados.

A notícia, inicialmente avançada pelo tablóide Daily Mirror no início de dezembro, foi, entretanto, repetida por outros meios de comunicação britânicos, que adiantaram detalhes como a participação de dezenas de pessoas que consumiram álcool e fizeram jogos. 

Era esperado que Simon Case revelasse dados da sua investigação esta semana, noticia a agência EFE.

Mas fontes citadas pelo The Independente e Político asseguraram que o secretário-geral do gabinete e chefe dos serviços civis, Simon Case, esteve presente numa das celebrações e consumiu bebidas juntamente com os restantes funcionários presentes.

PUB
PUB
PUB

Governo britânico garante que acusações são falsas

Após estas revelações, um porta-voz de Downing Street revelou que as investigações vão ser agora concluídas por Sue Gray, segunda secretária do Ministério do Equilíbrio Territorial, Habitação e Comunidades.

Downing Street salientou ainda que o atual responsável apresentava a sua demissão para garantir que “a investigação em curso mantém a confiança dos cidadãos”.

Antes, fonte do Governo tinha assegurado que as acusações contra Simon Case eram “categoricamente falsas”.

Allegra Stratton, que foi a porta-voz do Governo durante a cimeira climática COP26, já tinha apresentado a demissão depois de ter sido divulgado um vídeo no qual gracejava sobre uma alegada festa de Natal em Downing Street que terá violado as regras anti-covid.

Nas últimas semanas, Boris Johnson tem sido envolvido em vários escândalos que estão a ter impacto na popularidade até agora elevada. 

O Partido Conservador do primeiro-ministro britânico sofreu na quinta-feira uma derrota significativa e surpreendente numa eleição parlamentar, vista como um referendo ao seu Governo após semanas marcadas por polémicas e pelo agravamento da crise pandémica no país.

PUB
PUB
PUB

A candidata liberal-democrata Helen Morgan, que representa o terceiro maior partido de Inglaterra, conquistou 17.957 votos, mais 5.925 do que os conservadores, e venceu a eleição no círculo uninominal em North Shropshire, uma área rural do noroeste da Inglaterra que esteve sempre associada aos ’Tories’ (Partido Conservador).

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados