Quem poderá suceder a Liz Truss?

CNN , Christian Edwards
20 out, 15:25
Rishi Sunak e Liz Truss (AP)

Os trabalhistas estão a pedir eleições gerais, mas para já o cenário que prevalece é o de que Truss seja substituída na liderança do seu partido por alguém que também ocupará o cargo de primeiro-ministro.

Uma nova corrida pela liderança terá lugar dentro de uma semana, disse Liz Truss no seu discurso de demissão. O próximo será o quinto primeiro-ministro conservador em pouco mais de seis anos - e o terceiro dentro desta legislatura.

Mas quem poderá ser o próximo líder? Eis os principais candidatos na corrida.

Rishi Sunak

Sunak demonstrou ser um profeta da morte do governo, uma vez que muitas das previsões que fez durante a corrida pela liderança este Verão sobre o plano económico de Truss se concretizaram.

O antigo Chanceler do Tesouro (ministro das Finanças) advertiu que os cortes fiscais não financiados apresentados por Truss conduziriam a uma fuga por investidores da libra esterlina, a um pânico no mercado obrigacionista e a preocupações do Fundo Monetário Internacional. Talvez até ele tenha ficado surpreendido com o ritmo com que se provou ter razão.

Sunak tem experiência de combate à crise económica, tendo guiado o Reino Unido através da pandemia da Covid-19. É também popular entre os deputados, tendo obtido mais votos no Parlamento do que Truss antes de a escolha entre os candidatos finais ter sido colocada aos militantes do partido, e tendo perdido apenas por pouco na votação final.

A confiança que tem entre os deputados - e o poder de vindicação que as suas previsões ganharam - pode fazer dele o mais provável próximo comandante para dirigir o navio.

Penny Mordaunt

A líder da Câmara dos Comuns pode ter tido um ensaio geral para ser primeira-ministra esta semana, depois de ter intervindo em vez de uma Liz Truss ausente num debate.

“A primeira-ministra não está debaixo de uma secretária”, afirmou Mordaunt na terça-feira - numa “atuação” que pareceu tanto ser a sua própria apresentação como uma ajuda à primeira-ministra.

Mordaunt ficou em terceiro lugar nas últimas eleições para a liderança, perdendo por pouco a hipótese de ser colocada perante os militantes - entre os quais se esperava que ela se saísse bem, em parte devido às suas credenciais militares. Mordaunt é reservista da Marinha Real.

Tal como Sunak, ela pertence à ala mais moderada do partido. Houve mesmo conversas entre os deputados sobre a formação de uma “equipa de sonho”, embora esta ainda não se tenha materializado - e não é claro se Sunak se contentaria em ser chanceler novamente.

Grant Shapps

É um sinal da desordem dos últimos dias do governo de Truss que ela tenha elevado Grant Shapps a secretário de Estado da Administração Interna - apesar de não lhe ter oferecido qualquer tipo de papel ministerial quando ela inicialmente tomou posse.

Shapps serviu como secretário dos Transportes sob a direção de Boris Johnson. Apresentou-se para o suceder nas eleições de liderança anteriores - apenas para se retirar da corrida três dias mais tarde, depois de não ter obtido os 20 votos necessários para prosseguir para a volta seguinte.

Kemi Badenoch

Badenoch ficou em quarto lugar nas eleições pela liderança deste Verão - mas foi consistentemente classificada pelos analistas como uma favorita entre os militantes conservadores de base.

Uma das deputadas mais jovens na corrida, Badenoch rapidamente ganhou o apoio de Michael Gove, grande conservador de longa data, que a elogiou como sendo um "talento excepcional" do partido.

Badenoch é da direita do partido Tory - e na sua anterior proposta de liderança sugeriu que os objectivos climáticos do governo poderiam revelar-se demasiado dispendiosos.

Boris Johnson

Há apenas alguns meses, Johnson comandou uma confortável maioria no Parlamento e chegou mesmo a afirmar que estava a ponderar um terceiro mandato - para troça generalizada. Apesar de ser assolado por uma série aparentemente interminável de escândalos, Johnson não tinha um concorrente óbvio no partido e os trabalhistas ainda ficavam para trás nas sondagens.

No seu discurso final como primeiro-ministro, à porta do número 10 de Downing Street, Johnson fez uma das suas características alusões à história antiga: disse que iria "voltar ao seu arado" como o estadista romano Cincinnatus - sugerindo uma vida mais calma nas bancadas de trás.

Mas não foi assim que Cincinnatus acabou os seus dias. Foi chamado de volta do seu arado para regressar a Roma para um segundo mandato - desta vez como ditador.

As memórias do "Partygate", o escândalo prolongado que acabou por conduzir à sua queda, podem revelar-se demasiado frescas para que os deputados chamem Johnson de volta.

Mas, à medida que o partido Tory enfrenta um "desaparecimento" eleitoral, o homem que entregou uma maioria de 80 lugares em 2019 pode revelar-se uma opção tentadora para muitos deputados.

Outros nomes na cartola

A demissão de Suella Braverman como secretária de Estado da Administração Interna na quarta-feira à noite pode ter sido uma decisão precursora de uma possível proposta à liderança. A antiga procuradora-geral não se candidatou antes - mas com a sua posição de linha dura sobre a imigração, pode parecer que está pronta a arrastar o partido mais para a direita.

Tom Tugendhat surgiu como um favorito surpresa entre os militantes do partido Tory e o público em geral, apesar de ter ficado em quinto lugar nas últimas eleições para a liderança. Não tendo servido como membro do governo antes dessa corrida, Tugendhat distanciou-se da confusão moral do governo de Johnson e prometeu um "arranque limpo" para a Grã-Bretanha. Depois de servir no Iraque e no Afeganistão, Tugendhat foi nomeado ministro da segurança por Truss.

Ben Wallace, secretário da Defesa e outro ex-militar, foi indicado para suceder a Johnson na última corrida à liderança - com resultados extremamente bons nas sondagens entre os conservadores. Contudo, nunca concorreu a essa eleição, e não está claro se a sua posição terá mudado desde então.

Nota: artigo alterado às 17:45, com mais informação sobre possíveis candidatos.

Europa

Mais Europa

Patrocinados