"Pedro Nuno Santos está a preparar o país para mais cortes na TAP"

15 dez 2021, 22:26

"Se plano [da TAP] não for aprovado a companhia vai fechar". Pedro Santos Guerreiro, diretor executivo da CNN Portugal, interpreta esta afirmação do ministro das Infraestruturas como uma antecipação de uma reestruturação mais profunda na companhia aérea

PUB

O plano de reestruturação da TAP está perto de ser aprovado pela Comissão Europeia e vai provavelmente trazer mais cortes na companhia aérea, medidos em saídas de pessoal e redução no número de aviões. 

Na ótica de Pedro Santos Guerreiro, diretor executivo da CNN Portugal, a declaração de Pedro Nuno Santos - "Se plano [da TAP] não for aprovado a companhia vai fechar" - tinha como propósito de preparar a empresa para a necessidade de mais cortes, explicando que ou isso é aceite ou a TAP fecha.

PUB

"Esta é uma grande dramatização e a minha interpretação é que Pedro Nuno Santos está a preparar o país para mais cortes na TAP. O plano de reestruturação estará muito perto de estar concluído depois de muito meses em negociação", avançou. 

A primeira previsão do Governo apontava a aprovação do documento para março ou abril deste ano, mas já estamos quase na reta final de 2021 e ainda não há luz verde de Bruxelas. Pedro Santos Guerreiro entende que o plano que vai ser fechado vai espremer ainda mais a companhia aérea.

PUB
PUB
PUB

"A Comissão Europeia cedo disse que além da comparticipação do Estado, era preciso mais cortes, um maior esforço do lado da empresa. Portanto, o que me parece como bastante provável é que depois destes meses de negociações, aquilo que vai acontecer é um plano fechado que inclui mais cortes do que aqueles que eram esperados."

Estes cortes vão refletir-se numa redução das 'slots', ou seja, das vagas horárias ou das posições de voo, que vai, consequentemente, obrigar a diminuir o número de aviões e dispensar pessoal. No plano do Governo estava inicialmente prevista a venda de 20 aviões, a saída de 1800 trabalhadores e cortes de 25% na massa salarial. O diretor executivo da CNN Portugal disse ainda que depois do plano aprovado, é preciso perceber com que dimensão é que a TAP vai ficar. 

"Se a TAP de facto ficar mais pequena, ou seja, se perder ainda mais aviões e mais pessoal, depois temos que avaliar se ficamos com uma TAP ou uma 'tapzinha'", ironizou. 

Recorde-se que nos primeiros nove meses do ano a TAP apresentou prejuízos de 627 milhões de euros. Os resultados foram conhecidos há poucos dias. 

PUB
PUB
PUB

O plano do Governo

O Governo entregou à Comissão Europeia, há um ano, o plano de reestruturação da TAP, mas apesar de terem sido já implementadas medidas como a redução de trabalhadores, a companhia aérea ainda espera uma resposta de Bruxelas.

Após a Comissão Europeia ter aprovado, em 10 de junho de 2020, o apoio estatal de até 1.200 milhões de euros à TAP, a companhia teve seis meses para apresentar um plano de reestruturação que convença de que a empresa tem viabilidade futura.

Em agosto, Bruxelas admitiu recear que o auxílio de 3.200 milhões à reestruturação da TAP viole as regras de concorrência, uma queixa que tem sido repetida por outras companhias aéreas, como a Ryanair.

Disse ainda duvidar que o apoio de 3.200 milhões garanta de vez a viabilidade da companhia, apesar de reconhecer a importância de o Estado português salvar a transportadora aérea.

De acordo com o relatório que acompanhava a proposta de Orçamento do Estado para 2022, o Governo previa injetar 1.988 milhões de euros na TAP este ano e em 2022.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados