Rankings: lista dos distritos com a melhor média nos exames do secundário

Agência Lusa , PO
8 jul, 00:00

No ano passado, o Governo decidiu manter as regras implementadas em 2020 devido à pandemia de covid-19, permitindo que os exames finais do secundário servissem apenas para o acesso ao ensino superior ou para melhorar a classificação interna

QUADRO DA MÉDIA POR DISTRITO

Viana do Castelo             11,99
Porto             11,92
Viseu             11,89
Braga             11,76
Coimbra             11,59
Guarda             11,54
Aveiro             11,52
Leiria             11,51
Vila Real             11,48
Lisboa             11,41
Castelo Branco             11,37
Évora             11,37
Faro             11,33
R. A. Madeira             11,29
Santarém             11,27
Beja             10,95
Setúbal             10,93
Bragança             10,90
Portalegre             10,84
R. A. Açores             10,83
Estrangeiro             10,09

 

Viana do Castelo voltou a ser o distrito com melhor média nos exames do ensino secundário em 2021, apesar de os resultados terem piorado ligeiramente, segundo um ‘ranking’ elaborado pela Lusa, com base em dados do Ministério da Educação.

Com pouco mais de quatro mil exames do ensino secundário realizados em 2021 pelos alunos de Viana do Castelo, o distrito surge em primeiro lugar, com uma média de 11,99 valores, abaixo dos 13,48 conseguidos no ano anterior.

O Porto surge em segundo lugar com uma média de 11,92 valores nas 34.218 provas realizadas, seguido de Viseu com 11,89 valores nos 6.318 exames.

Na tabela dos distritos surgem depois Braga, Coimbra, Guarda, Aveiro, Leira, Vila Real e Lisboa, segundo a análise da agência Lusa, feita com base em números disponibilizados pelo Ministério da Educação.

Os desempenhos mais baixos ocorreram em Beja, Setúbal, Bragança, Portalegre, região autónoma dos Açores e escolas do estrangeiro, que não superaram os 11 valores.

No ano passado, o Governo decidiu manter as regras implementadas em 2020 devido à pandemia de covid-19, permitindo que os exames finais do secundário servissem apenas para o acesso ao ensino superior ou para melhorar a classificação interna.

Os alunos voltaram também a beneficiar de regras de classificação diferentes das habituais, em que apenas foram contabilizadas as respostas às perguntas obrigatórias e aquelas em que tenham tido melhor pontuação.

O grau de dificuldade foi, ainda assim, ligeiramente maior por haver menos perguntas opcionais, o que se refletiu no desempenho dos alunos que piorou em quase todas as disciplinas durante a primeira fase.

Educação

Mais Educação

Patrocinados