Ranking: a lista das melhores e das piores escolas secundárias por disciplina

Agência Lusa , PO
8 jul, 00:00

Conheça as melhores escolas nos exames de Matemática, Português, Biologia e Física/Química

 

AS ESCOLAS COM OS MELHORES EXAMES DE MATEMÁTICA

 

Colégio Nova Encosta Privado Paços de Ferreira 17,7
Externato Senhora do Carmo Privado Lousada 17,1
Colégio Efanor Privado Matosinhos 16,9
Colégio Nossa Senhora do Rosário Privado Porto 16,6
Academia de Música de Santa Cecília Privado Lisboa 16,6
Colégio José Álvaro Vidal Privado Vila Franca de Xira 16,5
Colégio D. Diogo de Sousa Privado Braga 16,3
Colégio do Minho Privado Viana do Castelo 16,2
Colégio de S. Tomás Privado Lisboa 16,2
Colégio das Terras de Santa Maria Privado Santa Maria da Feira 16,1

 

AS ESCOLAS COM OS PIORES EXAMES DE MATEMÁTICA

 

Colégio de Nossa Senhora da Graça Privado Odemira 4,6
Escola Secundária José Cardoso Pires, Loures Público Loures 4,4
Escola Artística Soares dos Reis, Porto Público Porto 4,1
Externato Álvares Cabral Privado Lisboa 3,9
Externato Académico Privado Porto 3,9
Colégio São Filipe Privado Setúbal 2,5
Escola Básica e Secundária Matilde Rosa Araújo, Matarraque, Cascais Público Cascais 1,8
Escola Secundária da Baixa da Banheira, Vale da Amoreira, Moita Público Moita 1,3
Escola Básica e Secundária de Pedrouços, Maia Público Maia 1,2
Colégio Internacional Lusíadas Privado Estrangeiro 0,9

 

Maioria das escolas com positiva a Matemática A mas notas desceram. A maioria das escolas teve média positiva nos exames nacionais de Matemática A, voltando a destacar-se os colégios numa das disciplinas que mais desceu a média em relação ao ano anterior, segundo uma análise da Lusa.

Num universo de 632 escolas secundárias que no ano passado levaram os alunos a exame nacional de Matemática A, 282 obtiveram uma média negativa (44,6%) por oposição aos restantes 350 estabelecimentos de ensino que conseguiram ter positiva (55,4%).

Pelo segundo ano consecutivo, devido à pandemia de covid-19, os exames nacionais realizados em 2021 continham várias perguntas opcionais e as provas serviram essencialmente para acesso ao ensino superior. Mas as provas foram mais difíceis – com menos perguntas opcionais – e as notas desceram em relação a 2020.

Além de Matemática A, houve um decréscimo das classificações médias na generalidade das disciplinas com destaque também para Física e Química A, Geografia A e Biologia e Geologia, segundo uma análise feita pela Lusa aos dados disponibilizados pelo Ministério da Educação (ME).

No caso da Matemática A, a média nacional das 43.128 provas realizadas e analisadas foi de 10,64 valores, uma descida de mais de dois valores em relação à média registada no ano anterior (13,28 valores).

Os colégios voltaram a ocupar os primeiros lugares de uma tabela realizada pela Lusa: o Colégio Nova Encosta, em Paços de Ferreira, surge em primeiro lugar com uma média de 17,66 valores nas 43 provas realizadas.

A primeira escola pública surge em 13.º lugar: a média dos 12 alunos da Escola Básica e Secundária de Arcozelo, Ponte de Lima, foi de 15,83 valores. Duas posições abaixo surge a Escola Básica e Secundária Miguel Torga, Bragança, em 15.º lugar, com uma média de 15,31 nas 17 provas realizadas.

Se, no ano passado, a grande maioria dos alunos (92%) que realizou exames nacionais tinha como objetivo candidatar ao ensino superior, também houve casos em que a missão era conseguir a aprovação à disciplina.

Segundo os dados disponibilizados pelo ME, houve 12.785 provas realizadas para efeitos de aprovação na respetiva disciplina, sendo a Matemática uma das principais disciplinas, juntamente com Literatura Portuguesa, Espanhol, Francês e Geometria Descritiva A.

Cerca de quatro mil alunos fizeram o exame de Matemática A para aprovação na disciplina, mas metade só o fez depois de anular a matrícula ou reprovar à disciplina.

 

AS MELHORES ESCOLAS A PORTUGUÊS

 

Colégio Nossa Senhora do Rosário Privado Porto    17,9
Colégio de Nossa Senhora da Assunção Privado Anadia    17,8
Colégio de S. Tomás Privado Lisboa    17,6
Colégio Minerva Privado Barreiro    17,4
Colégio Efanor Privado Matosinhos    17,3
Colégio João Paulo II Privado Braga    17,1
Colégio Nova Encosta Privado Paços de Ferreira    16,7
Academia de Música de Santa Cecília Privado Lisboa    16,6
Colégio Mira Rio Privado Lisboa    16,6
Escola Básica e Secundária António Bento Franco, Ericeira, Mafra Público Mafra    16,5

 

AS PIORES ESCOLAS A PORTUGUÊS

 

Escola Secundária Gaia Nascente, Vila Nova de Gaia Público Vila Nova de Gaia      9,1
Escola Básica e Secundária do Cerco do Porto, Porto Público Porto      9
Escola Secundária Jaime Cortesão, Coimbra Público Coimbra      9
Escola Básica e Secundária Francisco Simões, Laranjeiro, Almada Público Almada      8,9
Instituto Educativo do Juncal Privado Porto de Mós      8,9
Escola Secundária de Mirandela Público Mirandela      8,9
Escola Monsenhor José Galamba de Oliveira Privado Leiria      8,9
Escola Básica e Secundária da Calheta Público Calheta (R.A.A.)      8,8
Centro de Educação Integral Privado São João da Madeira      8,7
Escola Básica e Secundária de Pedrouços, Maia Público Maia      3,7

 

Português foi uma das duas disciplinas com subida da média. As notas no exame nacional de Português subiram em 2021 em relação ao ano anterior, contrariando a tendência generalizada de descida das médias.

Pelo segundo ano consecutivo, devido à pandemia de covid-19, os exames nacionais de 2021 continham várias perguntas opcionais e as provas serviam, essencialmente, para acesso ao ensino superior.

Mas, no ano passado, havia menos perguntas opcionais e as notas acabaram por descer, com exceção de apenas duas disciplinas: Português e Geometria Descritiva.

Em Português a média subiu de 11,98 valores em 2020 para 12,05 no ano passado, um ligeiro aumento de 0,06 valores, numa escala de zero a vinte. Em Geometria Descritiva a subida foi mais acentuada, passando de 11,24 para 12,36.

Todas as outras disciplinas registaram uma descida da média, com destaque para a Matemática A, Física e Química A, Geografia A e Biologia e Geologia.

Num universo de 633 escolas analisadas, 599 obtiveram média positiva (94,6%) a Português e apenas 34 registaram uma média negativa (5,5%).

Com a melhor média nacional surge o Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto, onde a média dos 14 alunos que realizaram o exame foi de 17,91 valores.

A primeira escola pública entra em décimo lugar, com um único aluno da Escola Básica e Secundária António Bento Franco, na Ericeira, que realizou o exame e teve 16,5 valores.

Já no fim da tabela realizada pela Lusa, surgem sete escolas públicas e três privadas no grupo das dez com piores médias nacionais.

 

AS MELHORES ESCOLAS A BIOLOGIA 

 

Colégio Cedros Privado Vila Nova de Gaia      17,4
Colégio Efanor Privado Matosinhos      16,3
Colégio Militar Público Lisboa      16
Colégio D. Diogo de Sousa Privado Braga      16
Colégio Nossa Senhora do Rosário Privado Porto      15,8
Externato Senhora do Carmo Privado Lousada      15,8
Colégio Horizonte Privado Vila Nova de Gaia      15,8
Salesianos de Lisboa - Colégio Oficinas de São José Privado Lisboa      15,8
Colégio da Rainha Stª Isabel Privado Coimbra      15,6
Colégio Pedro Arrupe Privado Lisboa      15,5

 

AS PIORES ESCOLAS A BIOLOGIA

 

Instituto Vaz Serra Privado Sertã        8,6
Externato Álvares Cabral Privado Lisboa        8,5
Escola Básica e Secundária Dr. Ramiro Salgado, Torre de Moncorvo Público Torre de Moncorvo        8,2
Escola Básica e Secundária Mestre Domingos Saraiva, Algueirão, Sintra Público Sintra        8,2
Escola Básica e Secundária Professor António da Natividade, Mesão Frio Público Mesão Frio        8,1
Escola Básica e Secundária de Santo António, Barreiro Público Barreiro        8
Escola Portuguesa do Lubango Privado Estrangeiro        6,5
Colégio Internacional Lusíadas Privado Estrangeiro        6,4
Colégio Português de Cabo Verde Privado Estrangeiro        6,3
Centro de Educação Integral Privado São João da Madeira        6,2

 

Média de Biologia desceu mas mais de 90% das escolas tiveram positiva. Nove em cada dez escolas secundárias tiveram uma classificação média positiva no exame nacional de Biologia e Geologia no ano passado, apesar de as notas terem baixado em relação ao ano anterior.

Sem exames obrigatórios, que pelo segundo ano contaram apenas com provas de ingresso ou para melhoria de nota, a média nacional dos mais de 36 mil alunos que foram avaliados a Biologia e Geologia foi de 11,9 valores.

Comparando com o ano anterior, o desempenho dos alunos àquela disciplina, que é uma das mais importantes para quem segue cursos superiores na área da Saúde, piorou ligeiramente e a classificação média caiu dois valores em relação aos 14 conseguidos nas provas de 2020.

A maioria dos estabelecimentos de ensino conseguiu, ainda assim, que a média dos resultados dos seus alunos fosse positiva. Num universo de 636 escolas secundárias, apenas 56 (8,8%) não chegaram aos 10 valores.

O 'ranking' elaborado pela Lusa, com base nos dados relativos aos exames do ano letivo 2020/2021, volta a ser liderado pelo terceiro ano consecutivo, pelo Colégio Cedros, no Porto, onde os alunos obtiveram uma média de 17,5 valores.

Seguem-se o Colégio Efanor (16,37), também no Porto, e o Colégio Militar, em Lisboa, a única escola pública nos primeiros 20 lugares da lista, com uma média de 16,1 valores. Depois desta, a segunda melhor escola pública surge apenas em 40.º.

Por distritos, o pódio dos melhores desempenhos médios nesta prova volta a pertencer ao Porto, seguido de Viseu e Braga.

No fundo da tabela, e sem médias negativas, surgem as escolas no estrangeiro, Portalegre e Beja.

As raparigas tiveram um desempenho ligeiramente melhor neste exame, com uma média de 12 valores, enquanto os rapazes ficaram-se pelos 11,8 valores.

No ano passado, o Governo decidiu manter as regras implementadas em 2020 devido à pandemia de covid-19, permitindo que os exames finais do secundário servissem apenas para o acesso ao ensino superior ou para melhorar a classificação interna.

Os alunos voltaram também a beneficiar de regras de classificação diferentes das habituais, em que apenas foram contabilizadas as respostas às perguntas obrigatórias e aquelas em que tenham tido melhor pontuação, ainda que o nível de dificuldade tenha sido maior por haver menos perguntas opcionais.

 

AS MELHORES ESCOLAS A A FÍSICA/QUÍMICA

 

Escola Básica e Secundária Escalada, Pampilhosa da Serra Público Pampilhosa da Serra         17,5
Academia de Música de Santa Cecília Privado Lisboa         16,2
Colégio Minerva Privado Barreiro         15,5
Colégio Efanor Privado Matosinhos         15,2
Colégio Nova Encosta Privado Paços de Ferreira         14,9
Colégio da Rainha Stª Isabel Privado Coimbra         14,8
Colégio D. Diogo de Sousa Privado Braga         14,6
Colégio Nossa Senhora do Rosário Privado Porto         14,6
Colégio Horizonte Privado Vila Nova de Gaia         14,6
Colégio Integrado de Monte Maior Privado Loures         14,4

 

AS PIORES ESCOLAS A FÍSICA/QUÍMICA

 

Escola Básica e Secundária da Calheta Público Calheta (R.A.A.)           5,1
Escola Secundária Dom Manuel Martins, Setúbal Público Setúbal           5
Colégio Dr. Luís Pereira da Costa Privado Leiria           4,9
Escola Básica e Secundária de Carrazeda de Ansiães Público Carrazeda de Ansiães           4,6
Escola Portuguesa do Lubango Privado Estrangeiro           4,5
Escola Básica e Secundária de Santo António, Barreiro Público Barreiro           4,5
Colégio Internacional Lusíadas Privado Estrangeiro           3,7
Externato Álvares Cabral Privado Lisboa           3
Escola Secundária da Baixa da Banheira, Vale da Amoreira, Moita Público Moita           2
Escola Básica e Secundária Matilde Rosa Araújo, Matarraque, Cascais Público Cascais           1,2

 

Mais de metade das escolas "chumbaram" em Física e Química. Mais de metade das escolas secundárias tiveram, em 2021, média negativa no exame nacional de Física e Química, num ano em que as notas pioraram e a média nacional ficou abaixo dos 10 valores.  

Num universo de 636 escolas onde os alunos decidiram ir a exame na disciplina de Física e Química, houve 414 (65,1%) em que a média foi negativa.

À semelhança do ano anterior, os estudantes do secundário voltaram a beneficiar das regras excecionais implementadas devido à pandemia de covid-19, que permitem que os alunos realizem apenas as provas finais que quiserem utilizar no acesso ao ensino superior ou para melhorar a nota interna.

Ainda assim, houve um agravamento significativo das notas, depois de em 2020 apenas 6,8% dos estabelecimentos de ensino terem ‘chumbado’ naquela disciplina, o que se traduziu também numa classificação média nacional negativa, que se fixou nos 9,8 valores (a média anterior foi 13,3 valores).

Com 32.811 provas realizadas, foi a pior classificação entre as disciplinas mais concorridas, em que pelo menos 10 mil alunos foram a exame, e a primeira vez desde 2017 com média negativa.

O ‘ranking’ elaborado pela Lusa, a partir dos dados disponibilizados pelo Ministério da Educação relativos aos exames do ano letivo 2020/2021, é liderado por uma escola pública, a Escola Básica e Secundária Escalada, em Pampilhosa da Serra, onde a única aluna a ir a exame conseguiu 17,5 valores.

Entre as mais bem classificadas, seguem-se duas escolas particulares: a Academia de Música de Santa Cecília, em Lisboa, e o Colégio Minerva em Setúbal.

Para reencontrar uma escola pública na lista é preciso descer até ao 23.º lugar, ocupado pela Escola Básica e Secundária Dr. Ferreira da Silva, em Oliveira de Azeméis, com 12,9 valores.

No ano passado, Coimbra recuperou o primeiro lugar entre os distritos com a melhor média a Física e Química (10,5 valores), seguido de Viseu e Porto. Já as escolas do estrangeiro e os distritos de Portalegre e Setúbal ocupam os últimos lugares.

As raparigas tiveram um melhor desempenho neste exame, com uma média de 10,1 valores contra a média de 9,5 valores dos rapazes.

Além de os exames não serem obrigatórios, no ano passado os alunos voltaram também a beneficiar de regras de classificação diferentes das habituais, em que apenas foram contabilizadas as respostas às perguntas obrigatórias e aquelas em que tenham tido melhor pontuação, ainda que o nível de dificuldade tenha sido maior por haver menos perguntas opcionais.

Educação

Mais Educação

Patrocinados