Carlos III agradece à Escócia o “verdadeiro afeto” pela sua mãe

Agência Lusa , BCE
13 set, 00:29
Corpo de Isabel ll na Catedral de Santo Egídio

Rainha Isabel II morreu no Castelo de Balmoral, na Escócia, após mais de 70 anos do mais longo reinado da história do Reino Unido

O rei Carlos III compareceu esta segunda-feira pela primeira vez como soberano britânico no parlamento autónomo de Holyrood em Edimburgo, onde agradeceu aos escoceses o "verdadeiro afeto" demonstrado à sua mãe Isabel II, que morreu na quinta-feira no castelo de Balmoral

“Sei que o parlamento escocês e a gente da Escócia partilha comigo o profundo sentimento de perda após a morte da minha querida mãe”, declarou o rei britânico após a aprovação pela câmara de uma moção que expressa condolências pela morte da monarca.

“Assumo as minhas novas responsabilidades com agradecimento que toda a Escócia me concedeu, comprometido em procurar o bem-estar do nosso país e das suas gentes, e com completa confiança na sua boa vontade e conselho para seguirmos em frente juntos”, afirmou.

Carlos III confirmou que o ducado de Rothesay e os seus restantes títulos escoceses passaram para o seu filho mais velho, William.

“Ele estará tão orgulhoso como eu estive ao transportar os símbolos deste reino antigo”, sublinhou o rei.

Escócia recorda Isabel II como "a âncora" da nação

Antes da sua intervenção, a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, prestou tributo a Isabel II, cujos restos mortais permanecem numa capela ardente na catedral de St. Gilles, em Edimburgo, até à sua transladação terça-feira para Londres.

A “rainha Isabel, rainha dos escoceses”, foi “a âncora da nossa nação”, disse a líder do Partido Nacional Escocês (SNP), ao assegurar que os escoceses estão “preparados” para apoiar o novo rei.

“Sua Majestade, estamos preparados para o apoiar enquanto prosseguir com a sua vida de serviço e continuar a edificar o extraordinário legado de sua querida mãe”, afirmou Sturgeon, que ambiciona convocar um novo referendo sobre a independência da Escócia face ao Reino Unido em 2023.

Alison Johnstone, a presidente do parlamento escocês, também agradeceu a Isabel II, que descreveu como “uma verdadeira amiga” da Escócia.

“Saudamos, como nação e como parlamento, Sua Majestade a rainha Isabel II, rainha dos escoceses, pelo seu extraordinário serviço”, afirmou a política do Partido Verde, também apoiante da independência da Escócia e de um novo referendo.

A Rainha Isabel II morreu no Castelo de Balmoral, na Escócia, após mais de 70 anos do mais longo reinado da história do Reino Unido.

Elizabeth Alexandra Mary Windsor nasceu em 21 de abril de 1926, em Londres, e tornou-se Rainha de Inglaterra em 1952, aos 25 anos, na sequência da morte do pai, George VI, que passou a reinar quando o seu irmão abdicou.

Após a morte da monarca, o seu filho primogénito assumiu, aos 73 anos, as funções de rei como Carlos III.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados