Ator Jussie Smollett considerado culpado de encenar ataque racista em 2019

Agência Lusa , AG
10 dez 2021, 01:18
Jussie Smollett na chegada ao julgamento (Charles Rex Arbogast/AP)
Jussie Smollett na chegada ao julgamento (Charles Rex Arbogast/AP)

Antiga estrela da série "Empire" afirmou ter sido atacado por dois apoiantes de Donald Trump

PUB

O ator norte-americano Jussie Smollett foi considerado culpado na quinta-feira por ter encenado um ataque racista e homofóbico em 2019, em Chicago, do qual teria sido vítima, provocando na altura uma onda de indignação nos Estados Unidos (EUA).

O comediante homossexual e afro-americano, de 39 anos, estava acusado por um tribunal de Chicago, no Estado do Illinois, de ter “planeado” um falso assalto, pagando 3.500 dólares (cerca de 3.102 euros) a dois irmãos de origem nigeriana e mentido à polícia.

PUB

A sentença será determinada mais tarde e o ator arrisca a uma pena máxima de três anos de prisão, podendo, no entanto, ser apenas condenado a serviços comunitários, noticia a agência AFP.

A antiga estrela da famosa série de televisão “Empire” tinha-se declarado inocente em tribunal.

“Não foi uma farsa”, disse o ator no tribunal, segundo a imprensa local, negando ter falado “em algum momento sobre uma farsa” com os seus alegados cúmplices.

Proibição da transmissão televisiva e o papel de Donald Trump

PUB
PUB
PUB

O julgamento começou na passada segunda-feira com uma cobertura muito limitada da imprensa, com o juiz a proibir a transmissão televisiva da maioria dos depoimentos, apesar das restrições devido à pandemia.

Desenho de Jussie Smollett no tribunal (Cheryl Cook/AP)

Para a Procurador-Geral, o ator queria avançar na carreira e criticou os estúdios de produção por não reagirem, depois de ter recebido uma carta com tom ameaçador.

Mas, segundo os seus advogados, Jussie Smollett foi agredido por dois homens motivados por dinheiro, um dos quais homofóbico.

Num depoimento há muito aguardado, o ator explicou que a quantia era para pagar um programa de treino e nutrição elaborado por um dos irmãos, que havia tentado, sem sucesso, ser contratado como guarda-costas após a carta de ameaças.

Jussie Smollett afirmou sempre ter sido atacado numa rua da cidade por dois apoiantes do antigo presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que alegadamente proferiram calúnias racistas e homofóbicas, tendo-lhe colocado uma corda ao pescoço.

PUB
PUB
PUB

O caso causou uma onda de choque num país ainda fortemente marcado pela discriminação racial e sexual.

As imagens de videovigilância, o teste às informações dos telemóveis dos três e dos vídeos, porém, rapidamente semearam dúvidas entre os investigadores que concluíram ter sido uma encenação.

A acusação e os pedidos de defesa do procurador são aguardados esta semana, antes das deliberações do júri.

Na semana passada, Abimbola e Olabinjo Osundairo alegaram ter sido pagos para encenar esse falso ataque.

De acordo com Abimbola Osundairo, o ator “falava dos estúdios que não levavam a sério a carta de ameaças”.

“Ele [Jussie Smollett] disse-me que queria que eu lhe batesse, e que deveria bater, mas não com muita força”, indicou.

Abimbola Osundairo aceitou porque se sentia em dívida com o ator, graças a quem havia conseguido um pequeno papel na série, negando ter tido uma relação romântica com Jussie Smollett.

Por sua vez, Olabinjo Osundairo detalhou como o ator o informou sobre os seus planos, em particular sobre os insultos a serem proferidos.

PUB
PUB
PUB

Os dois irmãos, que fugiram para a Nigéria depois do ataque, foram presos ao regressarem a Chicago em meados de fevereiro deste ano.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados