Distritais aceitam calendário de Rui Rio mas querem novo conselho nacional para marcar diretas dentro de 10 dias

Paula Caeiro Varela , Notícia atualizada às 13:53 do dia 19 de fevereiro
18 fev, 18:13
Rui Rio recusa ser novamente líder parlamentar do PSD

Por esta altura, são 17 as distritais que assinaram o documento que tem estado a circular

Várias distritais do PSD parecem ter-se entendido num patamar mínimo para levar este sábado uma recomendação ao conselho nacional de Barcelos. Por esta altura, a CNN Portugal sabe que são 17 as distritais que assinaram o documento que tem estado a circular: Viana do Castelo; Viseu; Santarém; Braga; Leiria; Porto; Setúbal; Área Oeste; Coimbra ; Faro; Lisboa; Castelo Branco; Beja; Guarda; Bragança; Vila Real e Portalegre. Aveiro (liderada por Salvador Malheiro, vice de Rio) e Évora ficam de fora.

Comunicado distritais by CNN Portugal on Scribd

As outras estão ainda a acertar um texto final que vai no sentido de respeitar o calendário definido por Rui Rio, concluindo o processo de sucessão no partido até ao final do primeiro semestre. Segundo adiantam à CNN fontes sociais-democratas, o texto tem um segundo ponto a pedir que, no prazo de 10 dias, seja convocado novo conselho nacional para propor o cronograma das eleições.

Esta quinta-feira em Leiria não chegaram a acordo sobre uma data concreta, que foi proposta por distritais próximas de Luís Montenegro e que pretendia uma antecipação do calendário.

O deputado e líder da distrital de Faro, Cristóvão Norte, vai propor ao Conselho Nacional do partido a convocação de um congresso extraordinário antes das eleições diretas.

"Propõe-se, nesse sentido, que o Conselho Nacional do PSD delibere a convocação de um Congresso Extraordinário do PSD, o qual deverá ocorrer previamente às eleições diretas do PSD e não comprometer o calendário de transição de direções nacionais anunciado pelo Presidente do PSD", lê-se no documento a que a CNN Portugal teve acesso. 

Um jantar para antecipar calendário que acabou sem calendário

Havia uma proposta de data para as diretas, que foi colocada à discussão à mesa do Matilde Noca, o restaurante em Marrazes, Leiria, onde se reuniram na noite de quinta-feira 10 distritais do PSD. Outras sete foram contactadas e terão concordado com a posição assumida.

Essa posição afinal é mais próxima da vontade de Rui Rio porque data fechada e antecipada, nada.

No encontro promovido por apoiantes de Luís Montenegro - candidatura que ainda não se formalizou mas que todos dão como certa - foi sugerida a data de 30 de abril para as diretas e congresso no final de maio.

Mas outros igualmente próximos do antigo líder parlamentar, como Paulo Cunha, da distrital de Braga, manifestaram reservas em levar um calendário fechado.

Também Cristóvão Norte interveio para discordar dessa estratégia para um conselho nacional em que discutir cronogramas eleitorais não está sequer na ordem de trabalhos.

Segundo a CNN Portugal apurou, houve apenas uma linha comum, já no final do encontro, que vingou: é preciso pressionar, sem hostilizar, para que o presidente do partido ou a sua comissão política apresentem a demissão. Nesse sentido, surgiu a solução de propor a marcação de um novo conselho nacional, no prazo de 10 dias, para apresentar um calendário para diretas e congresso.

Política

Mais Política

Patrocinados