Quer "criar o caos e um Estado sem lei": PSD condena processo do Chega contra o Presidente da República

Agência Lusa , BF
14 mai, 18:10
Hugo Soares (Miguel A. Lopes/Lusa)

Hugo Soares expressou, em nome do partido, a condenação veemente deste processo iniciado pelo Chega

O líder parlamentar do PSD acusou esta terça-feira o Chega e André Ventura de querem “criar o caos e um Estado sem lei” para que “o populismo possa reinar”, condenando o processo que o partido quer mover ao Presidente da República.

Em declarações aos jornalistas no parlamento, Hugo Soares lamentou que as instituições da República estejam a ser ocupadas com “um assunto que não existe, não tem interesse e visa pôr em causa o respeito pelas instituições e pelo mais alto magistrado da nação”.

“Por parte do PSD, o país pode esperar muita urgência em resolver esta brincadeira. Quem brinca com o regime, com as instituições, não deve ser respeitado nem deve ser levado a sério. Tudo faremos para que o processo seja célere e que tenha o menor impacto possível”, assegurou.

Tomou esta terça-feira posse a comissão especial para analisar o projeto do Chega que requer ao parlamento abertura de um processo contra o Presidente da República pelos crimes de traição à pátria, coação contra órgãos constitucionais e usurpação, que deverá ser votado, o mais tardar, na sexta-feira em sessão plenária.

O líder parlamentar do PSD salientou que o Chega está a propor ao parlamento que inicie e comunique ao Supremo Tribunal de Justiça um processo por um crime pelo qual o partido entende que o Presidente da República “deve ser condenado a um crime de prisão entre 10 a 20 anos”.

“Se o assunto não fosse sério, poderíamos até dizer que se o absurdo pagasse impostos, Portugal não tinha mais problemas de contas públicas”, ironizou.

Hugo Soares expressou, em nome do partido, a condenação veemente deste processo iniciado pelo Chega.

“O Chega e o dr. André Ventura querem mesmo que o regime caia no caos, caia numa espécie de Estado sem lei nem limites de bom senso para que o populismo possa reinar”, acusou.

Hugo Soares defendeu que Marcelo Rebelo de Sousa expressou apenas uma opinião de que é possível concordar ou discordar.

O projeto de deliberação entregue na segunda-feira pelo Chega no parlamento requer a abertura de um processo contra o Presidente da República pelos crimes de traição à pátria, coação contra órgãos constitucionais e usurpação.

A iniciativa foi anunciada na semana passada por André Ventura, na sequência de declarações de Marcelo Rebelo de Sousa sobre uma eventual reparação histórica às antigas colónias portuguesas.

Governo

Mais Governo

Mais Lidas

Patrocinados