1.500 empregos prometidos. Galp e Northvolt investem 700 milhões de euros em fábrica de conversão de lítio

Agência Lusa , PF
14 dez 2021, 10:51
Galp
Galp

Projeto já foi submetido no quadro do Programa de Recuperação e Resiliência

PUB

A Galp e a sueca Northvolt preveem investir 700 milhões de euros e criar 1.500 empregos diretos e indiretos na fábrica de conversão de lítio que vão desenvolver em parceria.

A Galp anunciou esta terça feira um projeto industrial na cadeia de valor de baterias de lítio para veículos elétricos em Portugal, em parceria com a sueca Northvolt, que tem uma fábrica em construção na Suécia.

PUB

Em novembro, o presidente executivo da Galp, Andy Brown, disse à Lusa estar para breve o anúncio sobre a composição de um consórcio para a indústria do lítio, tendo já submetido o projeto no quadro do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), referindo que a parceria será "o mais viável e potente em termos de combinação de empresas para tornar isto uma realidade".

Segundo nota do Ministério Ambiente e da Ação Climática, a parceria será com a sueca Northvolt, que prevê chegar a 2030 com uma capacidade de produção anual de 150 GWh na Europa, com uma fábrica na Suécia e duas outras em estudo.

Não haverá exploração sem avaliação ambiental

PUB
PUB
PUB

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, e o secretário de Estado da Energia, João Galamba, participaram esta terça-feira na sessão de apresentação da parceria. Matos Fernandes defendeu mesmo que é “muito normal” que uma unidade de processamento de lítio se localize em Portugal, classificando este projeto como “inovador”.

O governante disse ainda que este investimento vem confirmar que “o Governo não tem nenhum projeto de fomento mineiro”, mas de bom aproveitamento dos recursos naturais e minerais, sendo o lítio “um dos melhores exemplos”.

Apesar de não adiantar mais detalhes, Matos Fernandes notou que, nos próximos anos, vão ser aplicados entre 17.000 e 18.000 milhões de euros na área da energia, vincando que os investimentos em sustentabilidade são os que melhores garantias dão em termos de crescimento económico.

“Os que dizem que a sustentabilidade pode comprometer o bem-estar económico das famílias cometem um erro crasso. Contribui para a melhoria da qualidade de vida, para a redução das emissões […] e, da mesma forma, assegura os investimentos necessários para a criação de riqueza, mas também para a criação de emprego qualificado”, acrescentou.

PUB
PUB
PUB

O titular da pasta do Ambiente referiu ainda ser “evidente” que o seu ministério criou as políticas e agendas necessárias para que este investimento pudesse acontecer em Portugal. “Entendemo-lo com toda a naturalidade. Entendemos também que o nosso Ministério criou as agendas certas para definir as metas e os processos a que queremos chegar”, reiterou.

Em resposta aos jornalistas, Matos Fernandes disse que "parece fazer mais sentido" que esta unidade seja localizada a Norte, acrescentando que, "quanto mais no interior do país, melhor".

O governante sublinhou também que foi elaborada uma avaliação ambiental estratégica, a partir da qual serão escolhidos os locais, tendo sido já excluídos os que se encontravam em parques naturais ou na rede natura.

"Não haverá uma exploração sem avaliação ambiental", concluiu.

Denominada Aurora e com uma participação de 50/50 da Galp e dos suecos da Northvolt, a ‘joint venture’ está atualmente “a realizar estudos técnicos e económicos e a analisar várias localizações possíveis para a unidade” em Portugal.

PUB
PUB
PUB

Está também “a explorar as opções adequadas de financiamento no âmbito da transição energética, de modo a reforçar o desenvolvimento do projeto”.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados