Licenciados a dar aulas vão ganhar menos 350 euros do que professores de carreira

13 set, 08:46
Universidade - aula (arquivo)

REVISTA DE IMPRENSA. A legislação foi atualizada na semana passada para a contratação de licenciados pós-bolonha e os avisos sobre os concursos vão ser afixados junto de universidades e centros de emprego

Os licenciados contratados pelas escolas para irem dar aulas vão ganhar quase menos 350 euros do que um professor, no primeiro escalão de carreira, com horário completo. Os números foram avançados esta manhã pelo Jornal de Notícias

De acordo com o ministro da Educação, a legislação foi atualizada na semana passada para a contratação de licenciados pós-bolonha e os avisos sobre os concursos vão ser afixados junto de universidades e centros de emprego. 

Com base em dados fornecidos pela Fenprof, um professor no primeiro escalão de carreira (índice 167) leva para casa cerca de 1.500 euros brutos. Já os licenciados recrutados, ganham pelo índice 126, aplicado aos técnicos especializados sem certificado de aptidão profissional: 1.159 euros brutos, no caso de um horário completo. 

Com apenas a licenciatura, os candidatos só podem concorrer aos horários lançados diretamente pelas escolas, assim como só podem ser colocados quando não existem docentes para preencher as vagas. O ministro João Costa já assumiu que esta não é a solução para combater a falta de professores, mas alarga o leque de candidatos e pode reduzir o número de alunos sem todas as aulas.

Os horários enviados para a contratação de escola são os inferiores a oito horas letivas - um horário completo rem 22 horas letivas - e os que não são preenchidos na reserva de recrutamento nacional por não terem tido candidatos ou terem sido recusados pelos docentes colocados. 

Os grupos com mais horários em contratação da escola são: Informática; Pré-Escolar; Geografia; Educação Moral; Física e Química; e Historia. Por regiões, são mais carentes de professores: Lisboa; Setúbal; e Faro. 

Educação

Mais Educação

Patrocinados