Petróleo em forte queda. E os combustíveis?

27 set, 10:07
Extração de petróleo em Nefteyugansk, Rússia (Reuters)

Preço do petróleo já está quase 12% mais baixo do que na véspera da guerra em dólares. Em euros ainda está acima, mas não muito.

As previsões para os crescimentos económicos vão sendo pioradas à medida que o tempo passa mas isso tem uma consequência positiva pelo menos para quem consome produtos petrolíferos, como os automobilistas: o petróleo está em queda. Com menos crescimento económico há uma previsão de menor consumo de petróleo e, com menor previsão de procura, o preço desce.

Esta terça feira de manhã, o índice internacional Brent esteve a negociar abaixo dos 83 dólares por barril, valor que é quase 12% abaixo do da véspera do início da invasão da Ucrânia pela Rússia. A 23 de fevereiro, o Brent fechou nos 94 dólares por barril. Desde então, já chegou a um máximo a roçar os 140 dólares (no início de julho).

A variação é no entanto diferente em euros - desde o início da guerra, a moeda europeia desvalorizou cerca de 12,5% face ao dólar. Assim, quando convertidos para euros, o preço do Brent era de 85,5 euros por barril a 23 de fevereiro e de 86 euros esta terça-feira de manhã: está cerca de 0,6% ainda mais caro do que antes da guerra.

A acelerar a valorização do dólar tem estado sobretudo a subida das taxas de juro nos Estados Unidos, que é mais forte e mais rápida do que a subida das taxas de juro do euro, o que tem feito deslocar capitais para a moeda norte-americana.

Ainda assim, a descida do petróleo continua a pronunciar-se. Desde quinta-feira passada, quando fechou na casa dos 90 dólares por barril, o Brent já desvalorizou 8%. Embora ainda seja cedo na semana para fazer previsões, esta redução dos preços dos produtos petrolíferos sugere uma descida dos preços dos combustíveis também em Portugal.

No final da semana, já será possível ter um quadro mais completo para avaliar os impactos no bolso dos automobilistas. E não só: os custos dos transportes repercutem-se sempre indiretamente nos preços de vários produtos finais, incluindo os alimentos. A descida do petróleo pode beneficiar, pois, a descida da inflação.

Em Portugal, os preços de venda dos gasóleos estão menos de oito cêntimos mais caros do que estavam antes do início da invasão da Ucrânia pela Rússia, que ocorreu a 24 de fevereiro. As gasolinas 95 estão cerca de 13 cêntimos por litro mais baratos do que então. E as gasolinas 98 estão cerca de dois cêntimos mais baratas. Veja os preços desta semana aqui.

 

Dinheiro

Mais Dinheiro

Mais Lidas

Patrocinados