Combustíveis devem descer na próxima semana – mas poucochinho. Veja as estimativas

12 ago, 14:09
Governo mantém desconto do imposto nos preços dos combustíveis

Evolução das cotações internacionais dos produtos petrolíferos aponta para uma descida rasante dos preços dos combustíveis na próxima segunda-feira.

Um cêntimo. Apenas e só. Menos 0,01 euros por litro. São estas as estimativas para a evolução do preço do gasóleo e da gasolina na próxima segunda-feira. É pouco, mas soma-se à forte quebra verificada esta semana, mantendo pois a tendência. Neste momento, os preços de venda estão próximos dos que se verificavam no início da guerra da Rússia na Ucrânia. Mas só porque o governo reduziu os impostos.

Todos os finais de semana é possível estimar a evolução previsível dos combustíveis na segunda-feira seguinte. A conta resulta dos custos médios internacionais do petróleo e dos produto refinados. É assim que, todas as semanas, são publicadas estimativas. Contudo, os preços são fixados livremente, sendo decididos por cada gasolineira, por postos diferentes e em qualquer dia. A tradição em Portugal é de que as maiores variações aconteçam às segundas-feiras.

Na passada segunda-feira, 8 de agosto, os combustíveis desceram em média em Portugal continental entre os 7,4 cêntimos por litro (na gasolina 98) e os 9,5 cêntimos por litro (na gasolina especial 95).

Preços de venda na passada segunda-feira e comparação com uma semana antes. As quedas foram de entre 4 e 5%.  

Nos dias seguintes – de terça a quinta-feira -, os preços continuaram a descer, num total próximo de mais um cêntimo por litro de redução média.

Se se confirmar a descida de mais um cêntimo na próxima segunda-feira, como apontam as previsões, então o gasóleo simples será vendido em média na casa dos 1,72 euros e a gasolina simples na casa dos 1,78 euros por litro. Ou seja, os preços mais baixos desde 6 de março (no caso do gasóleo) e desde 6 de fevereiro (no caso da gasolina simples 95). Recorde-se que a invasão da Ucrânia pela Rússia ocorreu a 24 de fevereiro.

Desde junho que os preços dos combustíveis estão em forte queda, a par da redução da cotação internacional do petróleo. A descida para os níveis do início da guerra só é possível, no entanto, porque o governo cortou temporariamente o imposto dos produtos petrolíferos: menos 28,2 cêntimos por litro no gasóleo e menos 32,1 cêntimos por litro na gasolina.

Esta sexta-feira, a cotação internacional do petróleo estava a ser negociada (no índice Brent) na casa dos 98 dólares por barril, que comparam com 94 dólares por barril uma semana antes – e era também o patamar, em dólares, que se verificava na véspera da invasão da Ucrânia pela Rússia. A europa é no entanto pela desvalorização do euro, que desde o início da guerra perdeu cerca de 9% do seu valor face ao dólar.

 

 

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados