Rui Moreira cancela festejos da passagem de ano no Porto

Agência Lusa , BCE
1 dez 2021, 19:35
Rui Moreira
Rui Moreira

Câmara do Porto irá disponibilizar testes rápidos gratuitos a todos os cidadãos da cidade até 31 de dezembro, um investimento de um milhão de euros

PUB

O presidente da Câmara do Porto revelou, esta quarta-feira, à margem na inauguração da iluminação de Natal, que decorreu no Palácio de Cristal, que foram cancelados "todos os festejos de rua, inclusivamente o fogo-de-artifício" da passagem de ano.

Nesse sentido, o concerto dos GNR agendando para o último dia do ano no Queimódromo foi antecipado para a véspera, no Pavilhão Rosa Mota, e "será gratuito para os portadores do cartão Porto ponto".

PUB

"As pessoas terão é de ter a vacinação completa”, assinalou o presidente da Câmara, que confirmou terem sido cancelados “todos os festejos de rua, inclusivamente o fogo-de-artifício”.

“Vamos evitar a concentração nas ruas por essa razão. Era nossa intenção fazer o fogo-de-artifício na praia, mas as circunstâncias são o que são e temos de nos ajustar”, justificou o autarca.

Autarca garante testes antigénio grátis dentro de dois ou três dias

Os 100 mil testes antigénio que a Câmara do Porto vai disponibilizar gratuitamente até 31 de dezembro aos cidadãos da cidade estarão disponíveis “dentro de dois ou três dias”, revelou esta quarta-feira Rui Moreira.

PUB
PUB
PUB

Segundo o independente Rui Moreira, os 100 mil testes “irão ser colocados em zonas cruciais da cidade de forma a que as pessoas possam fazer testes gratuitos (…), contribuindo assim para que as atividades económicas, nomeadamente bares, discotecas e também o futebol, possam funcionar com a normalidade possível”.

“Julgo que dentro de dois ou três dias estarão prontos”, afirmou o autarca sobre este investimento da câmara de “um milhão de euros”, conforme relata o documento a que a Lusa teve acesso ao início da tarde.

Rui Moreira acrescentou decorrerem “contactos com os laboratórios que fazem este tipo de serviço e também com a Cruz Vermelha” a fim de ser montada “uma operação logística de grande envergadura”, bem como perceber “quantos centros” de testagem será necessário criar.

O autarca lembrou que se trata de “testes antigénio que permitirão que as pessoas, nas 48 horas seguintes, possam circular livremente e ir àqueles sítios onde está a ser exigido. E isso inclui, naturalmente, os turistas”.

PUB
PUB
PUB

“Tive o cuidado de falar hoje com a senhora ministra [da Saúde, Marta Temido] que ficou muito satisfeita com a solução que encontrámos”, revelou.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados