Marcelo pede a políticos para deixarem de exigir à sociedade aquilo que eles próprios não fazem

17 nov, 21:12
Marcelo Rebelo de Sousa na cerimónia do Dia da Unidade
Marcelo Rebelo de Sousa na cerimónia do Dia da Unidade

Presidente da República apelou aos líderes políticos para serem "mais inovadores, credíveis, fiáveis e estabilizadores"

PUB

O Presidente da República apelou esta quarta-feira aos líderes políticos para serem "mais inovadores, credíveis, fiáveis e estabilizadores" e deixarem de exigir aos cidadãos e ao setor privado "aquilo que eles próprios não fazem".

No encerramento de uma cimeira da Cotec sobre a "economia intangível" em que participou ao lado do Rei de Espanha e do Presidente de Itália, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que se deve fazer da política "um exemplo de valor imaterial que contribui para o futuro" das sociedades em Portugal, Espanha e Itália.

PUB

O Presidente português afirmou que "tudo o que é intangível liderou a humanidade" ao longo dos séculos e que "o erro foi ter-se reduzido o progresso da humanidade apenas aos tangíveis".

Ativos intangíveis ou incorpóreos são ativos sem tradução monetária direta. Mas independentemente de estarem contabilizados possuem valor e podem agregar vantagens competitivas, tal como é o caso de uma marca.

De acordo com Marcelo Rebelo de Sousa, os valores intangíveis estiveram sempre ligados ao progresso da humanidade, razão pela qual considerou um "erro" ter definido o crescimento económico "apenas em termos quantitativos, ignorando a realidade imaterial".

PUB
PUB
PUB

O chefe de Estado português salientou a importância de o setor público também responder às mudanças em curso e apelou à preservação da "estabilidade política e institucional" e à reforma da administração pública.

Por seu lado, Felipe VI disse que a fratura digital que existe na população espanhola deveria ser motivo de preocupação, defendendo ao mesmo tempo a formação e a reciclagem profissional como "um direito e uma responsabilidade" de cada pessoa.

Mattarella concordou que "as pessoas devem estar no centro" do processo de inovação social e não subordinadas à tecnologia.

O objetivo da reunião foi refletir e trocar ideias sobre problemas e necessidades comuns às empresas e economias em Portugal, Espanha e Itália, os três países onde a Cotec está localizada.

Nas sessões de trabalho durante a tarde participaram vários oradores, entre eles Nadia Calvino, vice-Presidente do Governo de Espanha e ministra dos Assuntos Económicos e da Transformação Digital e Rui Lopes Ferreira, presidente executivo (CEO) do grupo Super Bock.

PUB
PUB
PUB

Os encontros Cotec Europa são organizados desde 2005 alternadamente em Portugal, Espanha e Itália, contando com a participação de empresários, decisores políticos e académicos.

As reuniões são um “espaço de debate” com a intenção de produzir uma “contribuição positiva” dos países do sul da Europa para as políticas de inovação, na construção de novas respostas aos desafios de competitividade, emprego e crescimento inclusivo que se colocam à Europa, às suas empresas e aos cidadãos.

Nas últimas cimeiras, realizadas em Nápoles (Itália), Mafra (Portugal) e Madrid (Espanha), foram discutidos os temas da “Administração Pública 4.0”, do “Trabalho 4.0” e da “Economia Circular”.

A primeira Cotec foi fundada em Espanha, em 1990, por iniciativa do então rei Juan Carlos, e nove anos depois, em 2001, surgiu a sua congénere italiana.

A Cotec Portugal - Associação Empresarial para a Inovação, foi constituída em abril de 2003, na sequência de uma iniciativa do então Presidente da República Jorge Sampaio.

A COTEC Europa foi fundada em 2003, com a adesão da COTEC Portugal ao grupo já formado por Espanha e Itália.

PUB
PUB
PUB

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

PR Marcelo

Mais PR Marcelo