Autoridade Marítima Nacional volta a ganhar candidatura para formar agentes da FRONTEX

31 jan, 12:34
Polícia Marítima (Getty)

Agência Europeia visa o controlo e vigilância de fronteiras externas da União Europeia

A Polícia Marítima voltou a ganhar a candidatura como entidade formadora da agência FRONTEX, sendo assim o primeiro centro de formação policial dessa mesma agência.

De lembrar que terminou, no dia 12 de dezembro, o curso de formação de 160 agentes fronteiriços europeus.

Em comunicado, a Autoridade Marítima Nacional informa que está previsto que o novo curso decorra entre 20 de fevereiro e o final de novembro de 2023 e que seja frequentado por cerca de 50 alunos. "Salienta-se que este é segundo ano consecutivo que Portugal se candidata e é o país escolhido para ministrar esta formação específica", frisa a nota oficial. 
 
"Para além de uma prova inequívoca de confiança e de reconhecimento por parte das autoridade europeias da FRONTEX, esta formação constituirá um desafio significativo, que será alcançado com o apoio de outras entidades externas nacionais. A complementaridade de valências e de capacidades entre a Marinha e a Autoridade Marítima Nacional permitirá assegurar uma formação abrangente dos futuros agentes", lê-se na declaração.

A Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira - FRONTEX, foi criada em 2004 para ajudar os Estados-Membros da UE e os países associados de Schengen a proteger as fronteiras externas do espaço de livre circulação da EU.
 

 

 

País

Mais País

Patrocinados