Portugal
5'
0 - 0
Chéquia

Cinco detidos pela PJ no aeroporto com 780 mil doses de cocaína

Agência Lusa , AM
1 mai, 14:08
Aeroporto

Detidos têm idades entre os 28 e os 42 anos e foram presentes a tribunal para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação, estando a investigação ainda a decorrer

A Polícia Judiciária deteve na terça-feira cinco homens com 780 mil doses individuais de cocaína, em flagrante delito, no aeroporto de Lisboa, no âmbito da operação “Passageiros Fantasma”, na qual foram ainda apreendidos 30 mil euros em buscas domiciliárias.

De acordo com o comunicado da Polícia Judiciária (PJ) hoje divulgado, os cinco homens são suspeitos de integrar “um grupo criminoso organizado dedicado ao tráfico de estupefacientes por via aérea” e foram detidos numa operação da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da PJ, no âmbito de um inquérito do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

Os detidos têm idades entre os 28 e os 42 anos e foram presentes a tribunal para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação, estando a investigação ainda a decorrer.

“No decurso da operação “Passageiros Fantasma”, foi possível apurar que os detidos, munidos de bilhetes de avião que não utilizaram, acederam ao Aeroporto de Lisboa com o propósito de retirarem do tapete de bagagens duas malas com cocaína, provenientes de um voo da América Latina”, explicou a PJ em comunicado.

Segundo a PJ, no decurso da operação, que contou com a colaboração da divisão da PSP no aeroporto, “foi possível verificar que dois dos detidos, sob supervisão e controlo dos três restantes, que efetuavam, também, manobras de contra vigilância, recolheram duas malas de viagem que transportaram para o exterior do aeroporto, onde acabaram por ser intercetados”, sendo que o interior da bagagem continha “o equivalente a cerca 780 mil doses individuais de cocaína”.

“Na sequência das detenções, foram, ainda, efetuadas buscas domiciliárias, tendo sido apreendidos cerca de 30 mil euros em notas, três viaturas automóveis, uma arma de fogo proibida, munições e documentação diversa”, acrescentou a PJ no comunicado.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados