Beneficiários receberam 5% do valor total do Plano de Recuperação e Resiliência até outubro

Agência Lusa , BC
30 out, 09:43
Preços, dinheiro, euro, inflação, economia. Foto: Marijan Murat/picture alliance via Getty Images

Segundo o último ponto de situação operacional, dos 16.644 milhões de euros de dotação do PRR, 909 milhões de euros, ou seja, 5% do total, foram pagos aos beneficiários diretos e finais do plano

Os beneficiários do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) receberam, até outubro, 5% do valor total, o equivalente a 909 milhões de euros, destacando-se a dimensão da transição digital.

Segundo o último ponto de situação operacional, reportado em 26 de outubro, dos 16.644 milhões de euros de dotação do PRR, 909 milhões de euros, ou seja, 5% do total, foram pagos aos beneficiários diretos e finais do plano.

Deste valor, 246 milhões de euros foram pagos a entidades públicas, 219 milhões de euros a empresas públicas, 211 milhões de euros a escolas, 101 milhões de euros às famílias, 41 milhões de euros às autarquias e áreas metropolitanas, 27 milhões de euros a instituições do ensino superior, 34 milhões de euros a empresas, cinco milhões de euros às instituições do sistema científico e tecnológico e os restantes 25 milhões de euros a instituições da economia solidária e social.

Por sua vez, o total das aprovações dos investimentos ascendeu a 9.371 milhões de euros, o equivalente a 56%.

Deste valor, 2.582 milhões de euros dizem respeito às entidades públicas, 2.555 milhões de euros a empresas, 1.994 milhões de euros a empresas públicas, 915 milhões de euros a autarquias e áreas metropolitanas, 608 milhões de euros a instituições do ensino superior, 259 milhões de euros a instituições da economia solidária e social, 232 milhões de euros a escolas, 119 milhões de euros às famílias e 105 milhões de euros a instituições do sistema científico e tecnológico.

O montante total do PRR, gerido pela Estrutura de Missão Recuperar Portugal, está dividido pelas suas três dimensões estruturantes – resiliência (11.125 milhões de euros), transição climática (3.059 milhões de euros) e transição digital (2.460 milhões de euros).

As três dimensões apresentam uma taxa de contratação de 100%.

No que se refere às aprovações, destaca-se a transição digital com 63% (1.538 milhões de euros), seguida pela resiliência, com 56% (6.206 milhões de euros), e pela transição climática, com 53% (1.626 milhões de euros).

Em termos de pagamentos, a dimensão da transição digital surge novamente em primeiro lugar, apresentando uma taxa de 15%, o que corresponde a 365 milhões de euros.

Por sua vez, os pagamentos relativos à transição climática estão em 8% (232 milhões de euros), enquanto a taxa na dimensão da resiliência está nos 3% (312 milhões de euros).

Este plano, que tem um período de execução até 2026, pretende implementar um conjunto de reformas e investimentos tendo em vista a recuperação do crescimento económico. Além de ter o objetivo de reparar os danos provocados pela covid-19, este plano tem ainda o propósito de apoiar investimentos e gerar emprego.

Economia

Mais Economia

Patrocinados