Investigação aos negócios do lítio e do hidrogénio não tem arguidos, garante PGR

3 jan, 19:44
João Galamba (Lusa/EPA)

Tema voltou à ribalta depois de João Galamba, antigo secretário de Estado da Energia, ter sido nomeado por António Costa para ministro das Infraestruturas, substituindo assim Pedro Nuno Santos

A Procuradoria-Geral da República (PGR) garantiu, esta terça-feira, em resposta enviada à CNN Portugal, que a investigação relacionada com os negócios do lítio e do hidrogénio verde "não tem arguidos constituídos". 

"Como é do domínio público, corre termos no DCIAP um inquérito em que se investiga matéria relacionada com os chamados negócios do lítio e do hidrogénio verde. Esta investigação prossegue, sujeita a segredo de justiça. Não tem arguidos constituídos", garantiram em comunicado. 

Este tema voltou à ribalta depois de João Galamba - antigo secretário de Estado da Energia com as pastas do lítio e do hidrogénio verde - ter sido nomeado por António Costa para ministro da Infraestruturas, substituindo assim Pedro Nuno Santos

Na altura, numa reação aos jornalistas, André Ventura considerou a nomeação "uma afronta ao Estado de direito e aos portugueses", assim como "ao país e à justiça". O líder do Chega lembrou ainda que foi o antigo deputado socialista "quem avisou José Sócrates da Operação Marquês". 

Ventura disse saber da existência de uma "investigação de uso de dinheiros públicos que envolvem João Galamba", considerando que o Presidente da República deveria ter colocado esta questão ao primeiro-ministro antes de aceitar a nomeação.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados