Uvalde: Chefe da polícia demitido pelas falhas na resposta ao tiroteio que matou 19 alunos e dois professores

Agência Lusa , BC
25 ago, 06:49
Cruzes com os nomes de algumas das vítimas do massacre em Uvalde (Jae C. Hong/AP)

Peter Arredondo estava suspenso e tinha pedido regresso às funções, por considerar infundado o processo que lhe foi colocado após o massacre na escola de Uvalde. Polícia demorou mais de uma hora a confrontar e abater o atirador

O chefe de polícia do Distrito Escolar de Uvalde, no Texas, onde 19 alunos e dois professores foram mortos num tiroteio, em maio, foi demitido na quarta-feira, avançou a imprensa norte-americana.

O jornal Texas Tribune indicou que o conselho do distrito escolar de Uvalde, perto da fronteira com o México, votou por unanimidade a favor da demissão de Peter Arredondo, três meses depois do tiroteio.

O conselho acusou Arredondo, então responsável pela operação, de ter demorado a ordenar uma intervenção policial.

O relatório do comité de investigação constatou que mais de 370 agentes locais, estatais e federais responderam ao tiroteio, mas que demoraram mais de uma hora a confrontar e a abater o atirador, de 18 anos.

Num documento divulgado poucas horas antes da reunião, os advogados de Arredondo disseram que o polícia não estaria presente no que considerou ser um "linchamento público ilegal e inconstitucional".

O chefe de polícia, suspenso desde 22 de junho, tinha pedido ao conselho do distrito escolar de Uvalde um retorno total às suas funções, bem como o encerramento de um processo que considerou infundado.

Na semana passada, o supervisor das escolas de Uvalde, Hal Harrell, tinha recomendado a demissão de Arredondo, depois da divulgação de uma série de falhas.

A uma comissão de investigação, o diretor do Departamento de Segurança Pública do Texas, Steven McCraw, considerou que Arredondo tomou “decisões terríveis” à medida que o massacre se desenrolava.

McCraw afirmou que um número suficiente de agentes podia ter respondido ao tiroteio três minutos depois de o atirador ter entrado na escola.

O início das aulas nas escolas de Uvalde foi adiado até 6 de setembro, enquanto decorre uma série de melhorias de segurança e a implementação de serviços de apoio emocional e social, afirmou o conselho escolar, no final de uma reunião na segunda-feira.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados