Saiba tudo sobre o Euro aqui

Está na praia e foi picado por uma caravela portuguesa ou peixe-aranha? Estes são os próximos passos

CNN Portugal , MGR
28 mai, 16:51

Vinagre, água quente mas nunca álcool. Há várias formas de tratar estas picadas

Com o aquecimento do mar começam a aparecer nas praias caravelas portuguesas e peixes-aranha, duas espécies cujo veneno e picada podem provocar dor intensa ou deixar consequêncais ainda piores. Por isso mesmo é necessário saber o que fazer caso tenha um encontro menos feliz com um destes animais.

Ana Isabel Pedroso, especialista em medicina interna e intensiva, sublinha as diferenças evidentes entre os dois seres, apesar da confusão de muitas pessoas ao diferenciar cada um. No caso da caravela portuguesa, uma espécie de alforreca, são visíveis “tentáculos muito grandes”, sendo que cada um funciona como uma espécie de “agulha que pica e injeta veneno".

Se for picado deve colocar água salgada e vinagre para "desintegrar o veneno". "Nunca álcool”, sublinha a especialista em declarações à TVI (do mesmo grupo da CNN Portugal). De seguida verifique se parte dos tentáculos ficaram alojados na pele. Nessa hipótese deve-se retirar o mesmo tentáculo através de uma pinça, impedindo a continuação do efeito sobre a pele.

Já no caso do peixe-aranha, que habita na areia, a picada acontece através da introdução de um espigão que induz veneno. Para colmatar o sucedido é necessário “água quente, que neste caso pode ser doce”, andar na areia quente ou colocar compressas quentes. Estas picadas podem conduzir a um quadro clínico mais grave e “mais crítico”, alerta Ana Isabel Pedroso.

Relativamente à duração da dor, esta pode depender mediante a rapidez na retirada dos tentáculos ou espigão.

Em ambas as picadas é importante relembrar que “colocar spray analgésico” é, segundo Ana Isabel Pedroso, “mascarar os sintomas”. Assim que for picado deve recorrer imediatamente aos nadadores-salvadores porque as picadas podem conduzir a “reações alérgicas mais graves, manchas vermelhas, lábio inchado, baixa tensão”, entre outros.

É, por isso, importante ficar atento aos sinais que vão surgindo, devendo deslocar-se a um posto médico ou ao hospital caso a situação se agrave.

Relacionados

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados