Patriotas pela Europa. A nova família política do Parlamento Europeu, liderada por Viktor Orbán e que integra o Chega

CNN Portugal , JAV
7 jul, 08:59
Viktor Órban (Associated Press)

Será o terceiro maior grupo político do Parlamento Europeu e integra vários partidos de extrema-direita e da direita radical. Reagrupamento Nacional de Le Pen e Jordan Bardella poderá juntar-se após as eleições em França. Liga de Salvini ainda não confirmou se se junta ao Patriotas

O movimento político de direita liderado pelo húngaro Viktor Orbán conseguiu assegurar partidos suficientes para conseguir criar um novo grupo no Parlamento Europeu na sequência das eleições europeias de junho.

O líder nacionalista e pró-Rússia tinha anunciado a 30 de junho a sua intenção de formar um grupo parlamentar europeu chamado "Patriotas pela Europa", cuja criação foi confirmada ao final de sábado, após ter garantido o apoio dos partidos nacionalistas da Dinamarca, o Partido Popular Dinamarquês, e da Flandres, o partido nacionalista pró-independência Vlaams Belang.

Isto significa que, ao todo, o Patriotas pela Europa reúne agora 23 eurodeputados, o suficiente para cumprir o mínimo requerido para ser formalmente reconhecido pelo Parlamento Europeu.

Entre os outros partidos que já tinham declarado o seu apoio à nova família política liderada por Orbán contam-se o Partido da Liberdade da Áustria, o ANO centrista do antigo primeiro-ministro da República Checa, Andrej Babis, o Partido pela Liberdade neerlandês de Geert Wilders, o Chega de André Ventura e o Vox espanhol.

Segundo o primeiro-ministro da Hungria, atualmente detentor da presidência rotativa da UE, os partidos do grupo parlamentar vão encontrar-se na segunda-feira em Bruxelas.

O Reagrupamento Nacional (RN) de Marine Le Pen e Jordan Bardella, que esperam alcançar a maioria absoluta dos votos na segunda volta das legisativas antecipadas em França, este domingo, poderão juntar-se ao Patriotas pela Europa no rescaldo do plebiscito, adianta o Guardian.

A Liga, do italiano Matteo Salvini, também já expressou interesse num novo movimento dentro do Parlamento Europeu, mas ainda não confirmou a sua participação na família política de Orbán.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados