Saiba tudo sobre o Euro aqui

Balanço de atentado em mesquita no Paquistão sobe para 92 mortos

CNN Portugal , AM com Lusa - notícia atualizada às 9:15
31 jan 2023, 06:09
Paquistão (Associated Press)

Impacto da explosão fez desabar o teto da mesquita, que cedeu, provocando pelo menos 150 feridos

O balanço do atentado perpetrado na segunda-feira, numa mesquita no interior das instalações da polícia paquistanesa, em Peshawar, subiu para 92 mortos, revelou esta terça-feira o comissário adjunto da polícia de Peshawar, Shafiullah Khan, à CNN.

Segundo a mesma fonte, mais de 80 feridos estão a ser tratados no hospital da região. 

Em declarações à agência de notícias France-Presse (AFP), o porta-voz do Hospital Lady Reading em Peshawar, Muhammad Asim Khan, revelou que número de mortos subiu com a descoberta de novos corpos durante a noite e que é esperado que o número de vítimas aumente durante a manhã.

"Esta manhã, vai ser removida a última parte do telhado que ruiu para que possamos recuperar mais corpos, mas estamos pessimistas quanto às hipóteses de encontrar mais sobreviventes", referiu à AFP o porta-voz dos serviços de emergência Bilal Ahmad Faizi.

O atentado, perpetrado por um bombista suicida, foi inicialmente reivindicado por Sarbakaf Mohmand, comandante do grupo de talibãs paquistaneses, através de uma mensagem publicada na rede social Twitter.

No entanto, horas mais tarde, o porta-voz dos talibãs do Paquistão, conhecidos como Tehreek-e-Taliban Pakistan ou pela sigla TTP, Mohammad Khurasani, negou a responsabilidade do grupo, dizendo não ser política do movimento atacar mesquitas, seminários e locais religiosos.

O impacto da explosão fez desabar o teto da mesquita, que cedeu, provocando pelo menos 150 feridos, de acordo com Zafar Khan, um agente policial.

Siddique Khan, oficial da polícia, acrescentou que entre os mortos está o líder da mesquita Noor-ul-Amin.

Uma sobrevivente, a agente policial Meena Gul, de 38 anos, disse que estava dentro da mesquita quando a bomba detonou, relatando um cenário de caos e de pânico depois da explosão.

Em comunicado, o primeiro-ministro do Paquistão, Shahbaz Sharif, condenou o atentado e ordenou às autoridades que garantam o melhor tratamento médico possível às vítimas, prometendo uma “ação severa" contra os responsáveis pelo ataque.

Peshawar tem sido palco de frequentes ataques de milícias terroristas.

O TTP, ativo no Paquistão há mais de 15 anos, é um grupo distinto dos talibãs que controlam atualmente o Afeganistão.

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados