Papa Francisco admite resignar: “A porta está aberta”

30 jul, 11:21

Francisco disse aos jornalistas que não pode continuar a viajar nas condições em que o fez na visita ao Canadá, dada a sua idade e as fragilidades de saúde

O Papa Francisco admite que pode vir a reformar-se. Em conversa com os jornalistas, na viagem de regresso do Canadá, onde esteve de visita, o Papa disse que “a porta está aberta”: “É uma das opções. Até hoje, não usei essa porta.”

“Julgo que não continuarei a viajar com o mesmo ritmo de antes. Dada a minha idade e as limitações daí resultantes, tenho de me poupar um pouco, de forma a melhor servir a Igreja, ou então pensar na possibilidade de me afastar. Sinceramente, isto não é uma catástrofe. O Papa pode mudar. Não há qualquer problema”, disse ainda.

O Papa sublinhou que pelo menos o ritmo terá de ser diferente e que a viagem ao Canadá “foi uma espécie de teste”. “É verdade que não posso viajar nestas condições. Talvez o estilo de viagem tenha de mudar, talvez tenha de fazer menos viagens. Faço as viagens que prometi fazer, mas será o Senhor a decidir. A porta está aberta, a verdade é essa”, reforçou.

Francisco tem-se deslocado em cadeira de rodas, por causa dos problemas nos joelhos que o têm atormentado nos últimos tempos. No início do mês, numa entrevista exclusiva à Reuters, negou que esteja a planear renunciar em breve, negando ainda os rumores de que tem cancro. 

O Papa tem viagem agendada para Portugal dentro de um ano, para participar nas Jornadas Mundiais da Juventude.  

Europa

Mais Europa

Patrocinados