"As pessoas com tendências homossexuais são filhas de Deus": Papa Francisco diz que leis que criminalizam a comunidade LGBT são "um pecado"

CNN Portugal , BCE
5 fev, 18:29
Papa Francisco (Andrew Medichini/AP)

Estas declarações do Papa Francisco surgem depois dos seus recentes comentários sobre homossexualidade, quando declarou que ser homossexual não é um crime mas um pecado

O Papa Francisco defendeu este domingo que as leis que criminalizam as pessoas da comunidade LGBT são "um pecado" e "uma injustiça", porque também elas "são filhas de Deus".

"A criminalização da homossexualidade é um problema que não pode ser ignorado", defendeu o Papa Francisco, quando questionado por um jornalista sobre esta questão, na viagem de regresso a uma visita ao Sudão do Sul.

De acordo com a agência Reuters, o Sumo Pontífice apontou, de seguida, que 50 países criminalizam pessoas da comunidade LGBT "de uma forma ou de outra" e que outros 10 contemplam leis que incluem a pena de morte para pessoas com relações homossexuais, sem adiantar a fonte dos dados. De acordo com a associação ILGA - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo, 66 Estados-membros das Nações Unidas continuam a criminalizar relações entre pessoas do mesmo sexo. E, nalguns destes países, podem ser punidas com de pena de morte.
 
"Isto não é correto. As pessoas com tendências homossexuais são filhas de Deus. Deus ama-as. Deus acompanha-as. Condenar uma pessoa assim é um pecado. Criminalizar pessoas com tendências homossexuais é uma injustiça", disse.

Estas declarações do Papa Francisco surgem depois dos seus recentes comentários sobre homossexualidade, quando declarou que ser homossexual não é um crime mas um pecado - conceitos que, na sua perspetiva, precisam de ser diferenciados. "Distingamos pecado de crime. Também é pecado não ter caridade pelos outros", argumentou, em entrevista à Associated Press.

Dias depois, o Sumo Pontífice clarificou estas declarações, esclarecendo que se referia unicamente ao ensinamento moral católico da Igreja, que professa que qualquer ato sexual fora do casamento é pecado.

“Quando eu disse que é pecado, estava simplesmente a referir-me ao ensinamento moral católico, que diz que todo ato sexual fora do casamento é pecado”, escreveu Francisco, numa nota informativa, citada pela AP.

Relacionados

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados