Papa não vai a Kiev e Moscovo para já mas garante que está “em diálogo com eles" - Zelensky e Putin

4 set, 21:00

Entrevista exclusiva TVI/CNN Portugal ao Papa Francisco para ver esta segunda-feira à noite na íntegra

O Papa Francisco está proibido pelo médico de se deslocar, para já, a Kiev ou Moscovo, conforme já afirmou várias vezes que desejaria. No entanto, garante que está a fazer tudo o que pode para acabar com o conflito na Ucrânia, estando em contacto permanente com os presidentes Volodymyr Zelensky e Vladimir Putin.

“A visita está no ar. Ainda não sei. Estou a dialogar com eles. Amanhã, por exemplo, tenho uma conversa telefónica com o presidente Zelensky. Vamos ver”, respondeu na entrevista exclusiva à TVI/CNN Portugal.

Admitindo que o caminho do diálogo “está difícil” em relação a esta guerra, o Papa Francisco assegurou que não fará qualquer deslocação pelo menos até à sua viagem ao Cazaquistão, marcada para entre 13 a 15 de setembro.

“Agora não posso ir porque depois da viagem ao Canadá a recuperação do joelho ressentiu-se um pouco e o médico proibiu-me: ‘Até ao Cazaquistão, o senhor não pode viajar’. Mas tenho mantido contacto, por telefone… E faço o que posso. E peço a toda a gente que faça o que puder. Entre todos, pode fazer-se alguma coisa. Acompanho com a minha dor e com as minhas orações tudo o que consigo. Mas a situação é deveras trágica.”

O Papa referiu, no entanto, que já vários representantes do Vaticano estiveram em Kiev desde que começou a guerra: “A minha presença lá é forte”.

A entrevista completa ao Papa Francisco é transmitida segunda-feira à noite na CNN Portugal.

País

Mais País

Patrocinados