Covid-19. Bélgica levanta restrições por considerar propagação da doença controlada

Agência Lusa , BMA
21 jan, 23:38
Vacinação contra a covid-19

Comissão de concertação acordou aliviar algumas das restrições, em particular nos sectores da hotelaria e restauração, cultura e lazer

O Governo belga decidiu esta sexta-feira pôr fim a várias medidas de restrição impostas para combater a pandemia de covid-19, por considerar que a propagação da doença está controlada.

As autoridades belgas decidiram esta sexta-feira reabrir espaços de lazer como parques de diversões, bem como aumentar a capacidade em espaços culturais e permitir ao público voltar aos estádios, depois de constatar que, apesar do aumento dos novos casos de covid-19, as unidades de cuidados intensivos dos hospitais não se encontram sobrecarregadas.

A comissão de concertação, que reúne os responsáveis políticos nacionais no âmbito do combate à pandemia, acordou aliviar algumas das restrições impostas para controlar a propagação do vírus, em particular nos sectores da hotelaria e restauração, cultura e lazer.

Os especialistas concluíram esta sexta-feira também um projeto, batizado “Barómetro Covid”, que entrará em vigor a 28 de janeiro e pretende servir de base para a gestão da crise sanitária a longo prazo. Será instalado em três sectores: as atividades em público, a organização de atividades em grupo, como os movimentos da juventude, e o sector da hotelaria e restauração.

“Deve dar-nos transparência e previsibilidade”, disse o primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, na conferência de imprensa em que apresentou as medidas acordadas. “De forma simples e clara, indicará a situação sanitária em que nos encontramos: amarelo, quando tudo está sob controlo; laranja, quando a pressão está a aumentar,;e vermelho, quando existir um risco de sobrecarga”, explicou De Croo.

Entre os sectores que podem reabrir em breve figuram os parques de diversões, os jardins zoológicos, as pistas de bowling e os salões de jogos.

O público poderá também regressar aos estádios a partir de 28 de janeiro, com um máximo de 70% da capacidade.

Na área da cultura, poderão reabrir as salas com capacidade para até 200 pessoas e aquelas que tiverem uma capacidade superior poderão ser ocupadas até 70% ou mesmo na totalidade, se forem garantidas as condições de ventilação adequadas.

Os restaurantes passam a estar abertos até às 00:00, em vez das atuais 23:00.

Por outro lado, o teletrabalho continuará a ser obrigatório quatro dias por semana e mantêm-se as restrições aplicadas aos estabelecimentos comerciais porque, embora o pico de infeções com a variante Ómicron ainda não tenha sido alcançado na Bélgica, as autoridades constataram que está a gerar um acentuado aumento das faltas nas escolas, nas empresas e nos sectores de cuidados de saúde e serviços públicos.

Também esta sexta-feira, a Irlanda anunciou que quase todas as restrições terminam este sábado, uma decisão tomada por considerar ultrapassado o pico da vaga de infeções com a variante Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2, causador da doença.

Assim, termina no país o encerramento do lazer noturno, o encerramento às 20:00 de bares e restaurantes e as medidas de distanciamento social.

Serão igualmente levantadas as limitações do número de pessoas que se podem juntar nas habitações, embora continue a ser obrigatório o uso de máscaras nos estabelecimentos comerciais, nas escolas e nos transportes públicos até 28 de fevereiro, decidiu esta sexta-feira o executivo de Dublin, de coligação entre centristas, democratas-cristãos e ecologistas.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados