Covid-19: tratamentos com anticorpos monoclonais são menos eficazes com a variante Ómicron

Agência Lusa , JGR
29 dez 2021, 17:29
Ala de isolamento para infetados com a variante Ómicron na Índia (Ajit Solanki/AP)
Ala de isolamento para infetados com a variante Ómicron na Índia (Ajit Solanki/AP)

OMS indica que os outros dois tratamentos recomendados para a covid-19 - com corticosteroides e antagonistas dos recetores da interleucina-6 - continuam a ser eficazes nos doentes críticos

PUB

Os tratamentos com anticorpos monoclonais, até agora recomendados para doentes graves com covid-19 ou em risco de hospitalização, são menos eficazes na neutralização da variante Ómicron do coronavírus, revelou a Organização Mundial da Saúde (OMS).

No novo relatório epidemiológico semanal, a OMS indica que os outros dois tratamentos recomendados para a covid-19 - com corticosteroides e antagonistas dos recetores da interleucina-6 - continuam a ser eficazes nos doentes críticos.

PUB

A OMS insiste que dados preliminares em países afetados pela variante Ómicron, como Reino Unido, África do Sul ou Dinamarca, sugerem um risco menor de hospitalização do que com a variante Delta.

Os testes de diagnóstico, tanto os PCR quanto os testes antigénio, não parecem perder eficácia com a nova variante, reitera a OMS, que ainda não divulga informações sobre o comportamento das vacinas com a nova variante pois o relatório é sucinto do que em anteriores semanas por causa dos feriados do Natal.

O documento também não apresenta estatísticas sobre a percentagem de casos da variante Ómicron em amostras de laboratório, que há duas semanas era de apenas 0,1% e na semana passada atingiu os 1,6%, embora se espere que a percentagem aumente rapidamente pois em muitos países a nova variante já é dominante.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados