EUA sancionam cinco entidades chinesas para combater tráfico de opiáceos

Agência Lusa , DCT
15 dez 2021, 21:26
Opiáceos
Opiáceos

De acordo com dados oficiais, o tráfico de opiáceos sintéticos, como o fentanil, é responsável pelo aumento das ‘overdoses’ no país, com mais de 100.000 mortes em 2020

PUB

Os Estados Unidos (EUA) vão reforçar o combate ao tráfico de opiáceos e decidiram penalizar diversas entidades chinesas, anunciou esta quarta-feira a administração de Joe Biden, num momento em que o país regista um recorde de mortes por ‘overdose’.

O Presidente norte-americano decidiu endurecer o regime norte-americano de sanções contra os designados responsáveis do tráfico internacional de droga, que vai ser de imediato aplicado a quatro empresas e um narcotraficante chinês acusados de participar na produção ilegal de fentanil, um poderoso opiáceo sintético, de acordo com comunicados da Casa Branca e do Departamento do Tesouro, o equivalente ao ministério das Finanças.

PUB

O cidadão chinês Chuen Fat Yip, considerado o líder da rede na China dedicada à venda de fentanil, e as empresas chinesas Wuhan Yuancheng Gongchuang Technology, Shanghai Fast-Fine Chemicals e Hebei Atun Trading vão ter congelados os seus ativos que permaneçam sob jurisdição norte-americana, sendo ainda impedidos de efetuar transações financeiras com cidadãos norte-americanos.

PUB
PUB
PUB

Ao anunciar a criação de um Conselho sobre crime organizado transnacional, destinado a perseguir com mais eficácia estas atividades, o Governo de Washington também decidiu impor sanções a redes de narcotraficantes que atuam no México e no Brasil.

O novo Conselho estabelecido por Biden, através de uma ordem executiva, contará com a participação dos funcionários dos departamentos de Justiça, Tesouro, Estado, Defesa, Segurança Nacional e o gabinete do diretor-geral dos serviços de informações.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados