Will Smith demite-se da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas

2 abr, 00:05

A demissão surge após o estalo em Chris Rock durante a cerimónia de atribuição dos Óscares, em que Smith foi galardoado com o Óscar de Melhor Ator, após o comediante ter feito uma piada sobre a sua mulher

Will Smith demitiu-se esta sexta-feira da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, avança a revista Variety. O ator norte-americano estava a ser alvo de um procedimento disciplinar pela organização, e enfrentava um castigo pesado ou mesmo a expulsão.

"Traí a confiança da Academia. Privei outros nomeados e vencedores da oportunidade de celebrarem e serem celebrados pelo seu trabalho extraordinário. Por isso, demito-me da minha qualidade de membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, e irei aceitar quaisquer outras consequências que o conselho da organização ache apropriadas", pode ler-se no comunicado do ator citado pela publicação norte-americana.

A demissão surge após o estalo em Chris Rock durante a cerimónia de atribuição dos Óscares, em que Smith foi galardoado com o Óscar de Melhor Ator pelo papel em "King Richard: Para Além do Jogo". O comediante e apresentador fez uma piada com o facto da mulher do ator, Jada Pinkett Smith, ser careca, algo que desagradou a Will Smith, que se levantou do seu lugar na assistência para esbofetear Chris Rock.

Will Smith terá também recusado a abandonar a cerimónia após pedido da organização. A polícia ter-se-á mesmo oferecido para o deter, algo que Rock terá recusado, não tendo apresentado queixa junto das autoridades.

Esta segunda-feira, o ator de 53 anos pediu desculpa a Chris Rock, mas também à família Williams e à Academia pelo seu comportamento durante a cerimónia.

A violência em todas as suas formas é venenosa e destrutiva. O meu comportamento na cerimónia dos Óscares na última noite foi inaceitável e indesculpável”, começou por escrever Will Smith. “Gostaria de te pedir desculpa, Chris. Passei das marcas e estava errado. Estou envergonhado e as minhas ações não foram indicativas do homem que eu quero ser. Não há lugar para a violência num mundo de amor e bondade", acrescentou.

Relacionados

Artes

Mais Artes

Patrocinados