ONU pede inquérito sobre última entrada forçada de migrantes em Melilla

Agência Lusa , FMC
28 jun, 16:37
Milhares de pessoas forçam fronteira de enclave espanhol de Melilla no norte de África (Javier Bernardo/ AP)

Pelo menos 23 migrantes morreram e 140 polícias ficaram feridos, segundo as autoridades marroquinas

As Nações Unidas pediram esta terça-feira a abertura de um inquérito independente à tentativa forçada de passagem de cerca de dois mil migrantes na fronteira entre Marrocos e a cidade autónoma espanhola de Melilla.

"Apelamos aos dois países (Marrocos e Espanha) para que seja garantida a realização de um inquérito independente como primeira etapa para determinarmos as circunstâncias em que ocorreram mortes e ferimentos, assim como o apuramento de todas as eventuais responsabilidade", disse Ravina Shamdasani, porta-voz do Alto Comissariado dos Direitos do Homem da ONU, em Genebra.

Durante a tentativa, na passada sexta-feira, de entrada em Melilla por cerca de duas mil pessoas, pelo menos 23 migrantes morreram e 140 polícias ficaram feridos, de acordo com as autoridades marroquinas.

Trata-se do balanço mais grave de todas as tentativas de passagem de migrantes para as regiões autónomas espanholas de Ceuta e Melilla, no norte de África.

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados