Mark Bourke substitui António Ramalho no Novo Banco

Agência Lusa , CV
5 mai, 09:03
novobanco

Leigh Bartlett será o novo administrador financeiro

Mark Bourke, até agora administrador financeiro do Novo Banco, foi escolhido para presidente executivo, substituindo António Ramalho, que renunciou ao cargo, anunciou hoje a instituição.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Novo Banco acrescenta que Conselho Geral e de Supervisão (CGS) escolheu para administrador financeiro Leigh Bartlett, diretor executivo do Masthaven Bank desde 2020.

Na nota, o banco explica que o CGS considerou Mark Bourke como o candidato ideal para substituir António Ramalho, que deixará o cargo em agosto, por, entre outras razões, ter “mais de 20 anos de experiência como administrador executivo (em funções de CEO e de CFO) em instituições financeiras reguladas”.

O CGS aponta-lhe ainda “experiência e conhecimento significativo do mercado e sistema bancário português, adquiridos como CFO nos últimos três anos do novobanco” e “as competências e experiência necessárias para liderar o novobanco nesta próxima fase de desenvolvimento”.

Antes de se juntar ao Novo Banco, Mark Bourke foi administrador financeiro do Allied Irish Banks e membro da Equipa de Liderança do AIB, de 2014 a 2019. Começou a sua carreira na PwC em 1989 e, em 2000, juntou-se ao IFS Group como administrador financeiro, sendo promovido a CEO do grupo em 2006.

O CGS salienta igualmente que a nomeação de um candidato interno “assegura continuidade e estabilidade, bem como o alinhamento com o plano estratégico de médio prazo recentemente aprovado”.

O ainda presidente executivo, António Ramalho, tinha comunicado a 31 de março ao CGS a sua intenção de deixar, em agosto, as funções executivas que atualmente desempenha e apoiar o processo de transição para o seu sucessor.

Quanto a Leigh Bartlett, que será o novo administrador financeiro do Novo Banco, a instituição lembra que, depois de “um processo de pesquisa robusto”, o CGS concluiu que o responsável “é o candidato que melhor preenche os critérios exigidos”.

O CGS salientou ainda o facto de o Novo Banco “ter conseguido atrair e contratar um CFO de elevado renome, com o seu conhecimento, perícia e experiência de mais de 15 anos na indústria de serviços financeiros, demonstrando o progresso significativo que o novobanco tem efetuado nos últimos anos”, refere a nota.

Segundo comunicado do Novo Banco, a administração será ainda composta por Luís Ribeiro, Andrés Baltar, Luísa Soares da Silva, Carlos Brandão e Rui Fontes.

A informação sobre a nova administração do banco foi submetida ao Banco de Portugal e ao Banco Central Europeu para aprovação, refere a nota.

Economia

Mais Economia

Patrocinados