Tribunal rejeita recurso de Djokovic. Sérvio deportado falha Open da Austrália

Agência Lusa , BC
16 jan, 07:49

Três juízes do Tribunal Federal confirmaram uma decisão tomada na sexta-feira pelo ministro da Imigração de cancelar o visto do tenista

O Tribunal Federal australiano indeferiu hoje o recurso do tenista Novak Djokovic contra uma ordem de deportação, que implica uma proibição de entrar durante três anos na Austrália.

Três juízes do Tribunal Federal confirmaram uma decisão tomada na sexta-feira pelo ministro da Imigração de cancelar o visto do sérvio, de 34 anos, por motivos de interesse público.

A decisão significa provavelmente que Djokovic, que não está vacinado contra a covid-19, e permaneceu em Melbourne até ser deportado, via Dubai, horas depois de ser conhecida a decisão da Justiça.

Uma ordem de deportação inclui também, geralmente, uma proibição de três anos de entrar no país.

Djokovic fica assim impossibilitado de disputar o Open da Austrália, que começa na segunda-feira.

Tenista vai respeitar decisão das autoridades

O tenista já divulgou um comunicado esclarecendo que vai respeitar a decisão das autoridades, apesar de estar "extremamente desiludido". "Irei colaborar com as autoridades em relação à minha partida do país", revelou, na declaração citada pela BBC.

Djokovic disse estar "desconfortável" com o facto de a atenção se ter centrado nele desde que o seu visto foi cancelado pela primeira vez à chegada ao aeroporto de Melbourne, a 6 de Janeiro.

"Espero que todos possamos agora concentrar-nos no jogo e no torneio que adoro", frisou.

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, manifestou entretanto a sua satisfação com a decisão judicial que confirmou o cancelamento do visto e a expulsão do país do tenista sérvio Novak Djokovic, alegando tratar-se de uma decisão de "interesse público".

"Esta decisão de cancelamento foi tomada por razões de saúde, segurança e proteção, com base no interesse público", afirmou, em comunicado, o líder liberal australiano, que aplicou uma das políticas mais duras do mundo contra a pandemia de covid-19, e que enfrenta atualmente uma vaga de contágios, apesar de a maioria da população estar vacinada.

O visto de Djokovic foi inicialmente cancelado a 6 de janeiro no aeroporto de Melbourne, horas após a sua chegada para competir no primeiro torneio de Grand Slam de 2022, do qual fica afastado, com esta decisão.

Um funcionário fronteiriço cancelou o visto depois de decidir que Djokovic não era elegível para uma isenção médica das regras da Austrália para visitantes não vacinados.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados