Como saber se as notas que temos na carteira são roubadas ou falsas?

16 jan, 10:00
Dinheiro. Foto: AP

Talvez já lhe tenha passado alguma nota roubada ou falsificada pelas mãos e nunca tenha dado conta. Saiba quais os sinais a que deve estar atento para não cometer este erro

Quando compramos alguma coisa e pagamos em dinheiro, quando recebemos o troco por parte de um comerciante ou mesmo quando emprestamos dinheiro a alguém, raramente prestamos atenção às notas ou pensamos na sua origem. Assumimos que é genuína e legítima, mas a verdade é que pode não ser.

Talvez, aqui em Portugal, já lhe tenha passado alguma nota roubada ou furtada pelas mãos e nunca tenha dado conta. A maior parte das pessoas não sabe quais os sinais a que devem estar atentas e, por isso mesmo, o 29.º episódio do podcast do Banco de Portugal dá-lhe algumas dicas. 

Seja em que circunstância for, não aceite notas que tenham estas características:

  • Manchadas com tinta (violeta, azul, verde, vermelho e preto são as cores mais comuns);
  • Descoloradas; 
  • Coladas em bloco;

As notas que apresentem algum destes defeitos são provavelmente roubadas e se, inadvertidamentecorre, as aceitar, corre o risco de não conseguir trocá-las pelo valor correspondente. E porque é que estes defeitos são sinais de alerta? 

- As caixas multibanco e as malas de transporte de dinheiro têm um sistema de segurança instalado que "marcam ou destroem parcialmente" as notas na sequência de tentativa de roubo; 

- As notas descoloradas muitas vezes resultam depois dos assaltantes terem tentado tirar as manchas de tinta com recurso a descolorantes; 

- Existem sistemas inteligentes de neutralização de notas que, numa tentativa de roubo, em vez de tinta, usam cola para unir as notas em bloco. 

O que fazer?

Se algum dia estiver na posse de alguma nota nestas condições, deve dirigir-se à Polícia Judiciária, às tesourarias do Banco de Portugal ou também pode deslocar-se até ao seu banco que o encaminhará para as entidades competentes.

Saiba ainda que na impossibilidade de se dirigir presencialmente às tesourarias do Banco de Portugal, pode enviar esse dinheiro por correio. "Terá de recorrer ao serviço de correio registado com serviço especial de valor declarado, disponível em qualquer posto dos CTT. E vai precisar de dois envelopes", esclarece a instituição numa nota

Dizer ainda que o Banco de Portugal só substitui notas "mutiladas ou danificadas" por uma nota de igual valor no caso de:

  • A autenticidade da nota for confirmada; 
  • No caso de nota mutilada, a fração da nota apresentada for superior a 50% ou, não o sendo, for produzida prova bastante da destruição da parte em falta.

Se por acaso surgirem dúvdas sobre a "a intencionalidade da mutilação ou do dano da nota, o apresentante deve identificar-se e explicar, por escrito, a causa da mutilação ou dano ou o sucedido às partes em falta na nota". No caso das notas apresentarem manchas de tinta ou de sujidade, o critério aplicado é exatamente o mesmo. 

As notas que não estejam aptas para circulação são transformadas em mini partículas e constituídas em bloco. Quanto às moedas, a sua destruição é realizada pela Imprensa Nacional Casa da Moeda.

Como podemos saber se as notas que temos na carteira são verdadeiras?

Os critérios para se verificar se uma nota é roubada diferem daqueles que são utilizados para se perceber se uma nota é verdadeira ou uma imitação fraudulenta. Porque, na verdade, as notas roubadas são, por norma, genuínas, uma vez que estavam armazenadas, por exemplo, em caixas multibanco.

Apesar das notas de euro "integram elementos de segurança altamente sofisticados, que tornam a moeda única numa das mais seguras do mundo", a contrafação existe e é importante saber distinguir uma nota verdadeira de uma falsa, até porque "uma nota contrafeita não pode ser trocada por uma nota genuína". 

Elementos de segurança:

- Toque na nota e sinta a textura e firmeza do papel de algodão, bem como a rugosidade nos elementos impressos em relevo: as iniciais do BCE, o pórtico ou janela, a denominação e as marcas táteis.

- Observe as notas de euro à transparência (contra uma fonte de luz) e verifique a presença das marcas de água, do filete de segurança, da janela com retrato (nas notas 20, 50, 100 e 200 euros, da série Europa) e do registo frente/verso (apenas nas notas da série 1).

Elementos de segurança (Banco de Portugal)
Elementos de segurança (Banco de Portugal)

- Incline as notas e verifique:

Série Europa 

  • A banda holográfica com retrato, que exibe o retrato de Europa (figura mitológica grega), o símbolo euro, o motivo arquitetónico e o valor da nota. Nas notas de 100 e 200 euros, a banda holográfica apresenta ainda o holograma-satélite e o símbolo euro de grande dimensão;
  • O número esmeralda, que apresenta um efeito luminoso de movimento ascendente e descendente. Dependendo do ângulo de observação, o número muda de cor, passando de verde-esmeralda a azul-escuro. Nas notas de 100 e 200 euros o número esmeralda exibe ainda símbolos euros no seu interior.
  • A janela com retrato, nas notas de 20, 50, 100 e 200 euros que exibe na frente linhas multicolores em redor dos algarismos representativos do valor da nota (20 e 50 euros) ou do símbolo euro (nas notas de 100 e 200 euros) e, no verso, em todas as denominações, vários algarismos multicolores representativos do valor da nota;
  • O holograma-satélite está presente nas notas de 100 e 200 euros. Este holograma exibe vários símbolos euro que se movem em torno dos algarismos representativos do valor da nota. Quando expostos à luz direta os símbolos euro tornam-se mais nítidos.
Elementos de segurança (Banco de Portugal)
Elementos de segurança (Banco de Portugal)

Existem ainda outras três formas para conferir se a nota que tem em mãos é verdadeira ou falsa, mas já requerem a ajuda de uma lupa, de luz ultravioleta ou de dispositivos de luz infravermelha.

Sempre que quiser conferir a veracidade de uma nota, não se baseie apenas num dos elementos de segurança e "compare-a com uma nota que saiba ser verdadeira, procurando diferenças e nunca semelhanças". 

"Se mesmo assim, ainda tiver dúvidas sobre a sua genuinidade, apresente a nota suspeita numa das tesourarias do Banco de Portugal ou num balcão de uma instituição de crédito, onde lhe serão prestados todos os esclarecimentos", esclarece a instituição. 

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados