Estados Unidos enfrentam tempestade de inverno “única numa geração”

Agência Lusa , MJC - noticia atualizada às 23:15
22 dez 2022, 22:02

Joe Biden avisou a população de que não se trata de um dia normal de neve, mas de algo “sério”

Os Estados Unidos enfrentam uma tempestade de inverno “única numa geração”, como descreveu esta quinta-feira o Serviço Nacional de Meteorologia (NWS), que afeta sobretudo o oeste do país com uma vaga de frio extremo. Este deverá ser o natal mais frio do país nos últimos 40 anos.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, já havia alertado os norte-americanos para levarem a tempestade “extremamente a sério” e seguirem as recomendações das autoridades. “Este é realmente um alerta meteorológico muito severo. E vai do Oklahoma ao Wyoming, e do Wyoming ao Maine. E há consequência reais. Por isso, encorajo todos a seguirem os avisos locais”, disse em declarações à imprensa na Sala Oval na Casa Branca, em Washington.

Biden sublinhou que não se trata de um dia normal de neve, mas de algo “sério”, revelando que o seu governo tem tentado contactar os 26 governadores dos estados afetados.

Segundo a imprensa local, no norte de Idaho foram atingidas temperaturas de até -50°C, enquanto algumas principais cidades do país enfrentarão condições extremas na sexta-feira com -36,6°C em Chicago (Illinois), -35°C em Minneapolis (Minnesota) e -29°C em Denver (Colorado).

Na última atualização de hoje, o NWS previu uma “grande tempestade anormal” durante o fim de semana, com neve, ventos fortes e baixas temperaturas “perigosas”.

O fenómeno climatérico vai desde o norte da Great Basin, uma bacia hidrográfica que abrange o Nevada, parte do Utah e da Califórnia, Idaho, Oregon e Wyoming, até o norte do Meio-Oeste, os grandes lagos e a cordilheira dos Apalaches central e norte.

O NWS disse que vai haver “uma perigosa massa de ar frio sem precedentes” de um afrente do Ártico atingindo os vales de Ohio e Tennessee na noite de hoje.

Os governadores de Nova Iorque, Kentucky, Carolina do Norte, Geórgia e Oklahoma declararam estado de emergência. Outros estados, como Maryland, ativaram operações de resposta de emergência antes da tempestade, e outros ainda abriram abrigos com aquecimento para acolher todos aqueles que não têm casa ou vivem em habitações sem condições.

Até às 17.00 (hora local, 22.00 em Lisboa) já havia mais 2.200 voo cancelados em todo o país devido às condições climatéricas, segundo a CNN Portugal, afetando as viagens de milhares de americanos nesta époica natalícia. Os aeroportos mais afetados são os de O’Hare e Chicago Midway (Chicago) e o de Denver.

As companhias aéreas alertaram que a neve, ventos gelados e temperaturas baixas podem afetar a viagens de Seattle (Washington) para Boston (Massachusetts) ou na Carolina do Sul.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados