Will Smith vai ser "cancelado" por causa do estalo? Já há filmes a ser adiados

4 abr, 12:16

Imprensa norte-americana está a avançar que Netflix, Apple + e Sony estão a atrasar propositadamente os filmes que estão em produção e que têm o autor galardoado com um óscar no elenco

Da Sony à Netflix, o estalo de Will Smith a Chris Rock gerou uma cadeia de ações e reações que parece estar longe do fim. Alguns dos projetos atuais de Will Smith já foram "atrasados", ou estão sob ameaça de serem suspensos. Esta está a ser a reação da indústria de Hollywood ao momento em que o protagonista de Bad Boys respondeu com violência ao humor.

Netflix, Apple + e Sony aparentemente não gostaram do incidente ocorrido na 94.º edição dos Óscares e os efeitos colaterais já se começam a fazer sentir. De acordo com a revista Variety, a gigante de “streamming” Netflix está a atrasar propositadamente a produção do filme “Fast and Loose”, que terá Will Smith como protagonista.

A longa-metragem, oficialmente em pré-produção, já estava parada, porque ficou sem realizador uma semana antes da cerimónia de entrega das estatuetas de ouro, quando David Leitch optou por mudar-se para o projeto de Ryan Gosling “Fall Guy”. Mas, segundo a publicação, a Netflix optou agora por suspender a procura por um novo realizador e “é incerto se a Netflix vai continuar a desenvolver “Fast and Loose” e se vai procurar um novo protagonista para o projeto”.

À CNN Portugal, Paulo Trancoso, produtor cinematográfico e presidente da Academia Portuguesa de Cinema, explica que o acontecimento que manchou a noite dos Óscares ainda é muito recente e para já “é difícil de perceber" a dimensão que pode vir a atingir.

“É difícil de perceber, mas obviamente trará danos no futuro à carreira do Will Smith. Estes danos já eram esperados. O futuro de Will Smith seria sempre difícil, independentemente do que acontecesse”, explica.

Paulo Trancoso acrescenta que a reação dos grande estúdios é “mais do que natural" e, tal como parece estar a acontecer, seria expectável "deixar passar algum tempo e esperar que as coisas passem". "Como sabemos, a memória é curta”, lembra o especialista.

Também o Hollywood Reporter diz que a Apple + recusou tecer comentários sobre “Emancipation”, um drama que aborda a temática da escravatura e que deveria estrear ainda este ano com Will Smith no elenco, mas que continua sem uma data de estreia definitiva.

A revista centrada na indústria cinematográfica norte-americana acrescenta ainda que também a Sony optou por suspender, devido ao incidente com Will Smith e Chris Rock, o “Bad Boys 4”, que estaria em “desenvolvimento ativo” antes da cerimónia no Dolby Theatre. O ator já teria mesmo “recebido o guião de 40 páginas”, pode ler-se na publicação.

Paulo Trancoso explica que estes "atrasos" na fase de produção podem não significar que estas longas-metragens vão ser suspensas ou até mesmo canceladas, mas realça que “é possível interromper-se um filme em pré-produção". De acordo com o presidente da Academia Portuguesa de Cinema, esta nunca será uma opção tomada de ânimo leve devido aos "prejuízos avolumados" que implica.

“É possível interromper-se um filme em pré-produção. Vão é ter prejuízos, mas podem existir estúdios que optem por esta via”, diz Paulo Trancoso.

O produtor cinematográfico português lembra ainda que “normalmente, um ator de Hollywood, tem os seus agentes e publicistas, que poderão tentar lançar campanhas com vista a minimizar estes efeitos prejudiciais". Estratégia que, para Paulo Trancoso, dificilmente terá sucesso, neste caso, por ter sido um incidente "à escala global". "Só o tempo dirá o que vai acontecer", acrescenta.

Também a aclamada revista Rolling Stones analisou a temática e lembra, no entanto, que de acordo com o IMDb, Will Smith continua a ter vários projetos em diferentes fase de desenvolvimento como produtor, mas deixa a ressalva que “o futuro desses filmes e programas de televisão é agora incerto na sequência do infame momento de Will Smith nos Óscares”.

O presidente da Academia nacional considera que esta poderá ser a escapatória de Will Smith nos próximos tempos, porque é usual que "os atores entrem com o próprio trabalho e financiamento nos projetos" quando fazem parte da equipa de produção. "É possível que Will Smith se dedique mais a esta área nestes primeiros tempos”, teoriza.

Quanto à ocorrência na grande noite do cinema norte-americano, Paulo Trancoso diz que "é sempre uma situação muito inesperada". "Ninguém estava à espera e é normal que tenha existido um embaraço por parte da organização, que alegadamente lhe terá pedido para abandonar a cerimónia”, explica, referindo ainda que considera que a opção de Wil Smith de permanecer sentado na plateia "só piorou ainda mais a situação".

Na passada sexta-feira, Will Smith demitiu-se da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, avançou a revista Variety. O ator norte-americano estava a ser alvo de um procedimento disciplinar pela organização, e enfrentava um castigo pesado ou mesmo a expulsão. O protagonista de King Richard já voltou a pedir desculpas publicamente por ter esbofeteado o humorista Chris Rock. Desta vez, dirigiu-se diretamente à vítima pelo comportamento inaceitável.

Will Smith estrou-se no pequeno ecrã há cerca de 30 anos, com a “sitcom” (série de comédia) “The Fresh Prince of Bel-Air”, emitida pela primeira vez em 1995. Ao longo de três décadas o ator participou em vários filmes de sucesso como: “Bad Boys”, “MIB: Homens de Negro”, “Ali”, “Perigo Público”, “Eu, Robot”, “Em Busca da Felicidade”, “Sete Vidas” ou “King Richard: Para Além do Jogo”

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados