NATO anuncia reforço das forças de elevada prontidão. Serão oito vezes mais

27 jun, 12:44
Jens Stoltenberg (Johanna Geron, Pool Photo via AP)

Um anúncio feito poucos dias antes de arrancar em Madrid, Espanha, a Cimeira da NATO, onde, segundo Stoltenberg, vão ser aprovadas mais sanções contra a Rússia

O secretário-geral da NATO anunciou, esta segunda-feira, em Bruxelas, que vai reforçar massivamente as forças de elevada prontidão. Segundo Jens Stoltenberg, vão passar de 40.000 para mais de 300.000 militares. 

"Vamos transformar a força de resposta da NATO e aumentar o número de forças de elevada prontidão para bem mais de 300.000", afirmou em declarações aos jornalistas. 

Stoltenberg disse ainda que as futuras linhas estratégicas da Aliança Atlântica "serão focadas na sustentabilidade" e segurança de todos os aliados, acrescentando ainda que a Rússia vai deixar de ser apelidada de "parceiro estratégico". 

"Espero que os aliados afirmem claramente que a Rússia representa uma ameaça direta à nossa segurança, aos nossos valores e à nossa ordem internacional baseada em regras".

O secretário-geral da NATO referiu também que a invasão da Ucrânia representa "o maior desafio da defesa coletiva desde a Guerra Fria" e, por isso mesmo, "é preciso investir mais". Ainda assim, assegurou que desde 2014 que têm sido tomadas medidas para aumentar a capacidade militar dos membros da NATO. 

Recorde-se que quarta e quinta-feira vai decorrer em Madrid, Espanha, a Cimeira da NATO, onde, segundo Stoltenberg, vão ser aprovadas mais sanções contra a Rússia.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados