"Don't Look Up" é uma sátira mordaz que por vezes perde o sentido

CNN
31 dez 2021, 18:45
Jennifer Lawrence e Leonardo DiCaprio protagonizam “Não Olhem para Cima”, uma sátira mordaz às alterações climáticas realizada por Adam McKay
Jennifer Lawrence e Leonardo DiCaprio protagonizam “Não Olhem para Cima”, uma sátira mordaz às alterações climáticas realizada por Adam McKay

PUB

Na tradição grandiosa dos filmes de ficção científica, "Don't Look Up" (“Não Olhem para Cima”) recorre a uma estrutura de filme-catástrofe como metáfora para retratar uma crise baseada na realidade. Desta feita, o enorme cometa que se dirige para a Terra simboliza a indiferença na abordagem às alterações climáticas. No entanto, a espaços, esta sátira repleta de estrelas e extremamente provocadora perde o rumo e põe em causa as suas admiráveis qualidades por se tornar tão dispersa no tom adotado.

Na sua essência, o argumentista e realizador Adam McKay (que escreveu o argumento em conjunto com o jornalista/ativista David Sirota) apresenta-nos um tratado contundente sobre o estado disfuncional da política e da comunicação social atuais, com a tese de que a nossa miopia geral nos torna incapazes de centrar as atenções numa iminente ameaça existencial. O título reflete precisamente essa abordagem de “avestruz com a cabeça na areia” que adotamos face a um evento catastrófico.

PUB

A janela para esse absurdo surge quando o professor de astronomia Randall Mindy (Leonardo DiCaprio) e a sua aluna doutoranda, Kate Dibiasky, (Jennifer Lawrence) descobrem um cometa cuja trajetória indicia uma colisão direta com a Terra no espaço de pouco mais de seis meses.

PUB
PUB
PUB

Compreensivelmente alarmados, comunicam as suas descobertas à Casa Branca, onde a Presidente (Meryl Streep, mal servida por uma personagem ridícula) está demasiado preocupada com a nomeação para o Supremo Tribunal para se concentrar naquilo que Randall descreve como um evento causador de extinção. Após demandas infrutíferas, a Presidente conclui que o melhor será “não fazer nada e avaliar” a situação.

A partir daí, “Don't Look Up" não dá tréguas nas acusações cáusticas ao ecossistema político e à comunicação social, desde os programas de infotainment (neste caso, um talk-show apresentado por Tyler Perry e Cate Blanchett, no papel de dois pivôs cheios de si mesmos) aos websites mais interessados nos memes das redes sociais.

McKay e Sirota desferem um golpe certeiro na crítica à facilidade com que as pessoas se distraem (sobretudo na comunicação social) e se fixam mais em pormenores como o cabelo e as roupas de Kate do que no conteúdo da sua mensagem.

O problema é que a defesa da sua tese se perde em argumentos demasiado díspares, desde a inclusão de um multimilionário da tecnologia (Mark Rylance, com um sotaque do outro mundo) que só pensa em aproveitar os recursos naturais do cometa, até ao chefe de gabinete da Presidente (Jonah Hill), cuja única preocupação se prende com o impacto que a catástrofe poderá ter nas eleições intercalares.

PUB
PUB
PUB

A verdade é que “Don't Look Up” tem tendência a desviar-se do rumo também em parte devido ao amontoado de estrelas que são relegadas para papéis menores (como é o caso de Timothée Chalamet, que surge a meio do filme sem motivo aparente) e às linhas narrativas secundárias, que arrastam a tensão sobre se estes líderes medíocres serão capazes de ter a coragem e presença de espírito para tomar medidas.

DiCaprio (cujo ativismo em prol do meio ambiente inclui a produção do documentário "Ice on Fire") e Lawrence têm ótimos desempenhos, mas muitos dos outros grandes nomes servem apenas como chamarizes vistosos e, muitas vezes, desnecessários.

“A Queda de Wall Street” e "Vice" de McKay são os antecedentes mais óbvios no que diz respeito ao ataque às grandes instituições através da sátira e do humor negro, mas o filme vai também buscar inspiração a “Dr. Estranhoamor”, mas neste caso correndo riscos ainda maiores. O título é axiomático ao refletir a reação mais comum que temos face às más notícias.

PUB
PUB
PUB

Tal como seria certamente sua intenção, “Não Olhem para Cima” recorre à sátira para lançar o debate sobre os perigos de ignorar uma crise até ser demasiado tarde. É uma mensagem preocupante, mas que infelizmente nos chega através da lente de um filme desequilibrado.

“Don't Look Up” já chegou às salas de cinema e à Netflix. Tem classificação para Maiores de 14.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados