O Kremlin acusa os EUA de estarem "a provocar a China" e por isso o Kremlin "tem total solidariedade" para com a China

2 ago, 14:09

Em causa está uma eventual visita de Nancy Pelosi a Taiwan

O porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, acusou os Estados Unidos de "provocarem" a China, numa altura em que se especula que Nancy Pelosi, a líder da Câmara dos Representantes norte-americana, irá visitar Taiwan durante a sua viagem oficial à Ásia.

"Não podemos dizer com certeza se ela [Pelosi] vai ou não à região, mas, independentemente disso, toda esta viagem e a possível visita a Taiwan são puramente provocatórias", disse Dmitry Peskov, citado pela agência de notícias Reuters.

Peskov garantiu ainda aos jornalistas que "a Rússia tem total solidariedade com a China". Maria Zakharova, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, reiterou as acusações de Dmitry Peskov, argumentando que a eventual  visita de Pelosi a Taiwan tem apenas como objetivo "exercer pressão sobre Pequim". "A Rússia confirma o princípio de 'uma China' e opõe-se à independência da ilha, seja de que maneira for", sublinhou Zakharova, citada pela mesma agência.

É certo que ainda não há confirmação oficial sobre a viagem de Pelosi a Taiwan, mas os media internacionais já dão como certa esta deslocação, que deverá acontecer já na noite desta terça-feira, com a líder da Câmara dos Representantes a pernoitar em Taipé, capital da ilha autónoma. De acordo com a imprensa, Nancy Pelosi tem mesmo encontro marcado com a presidente, Tsai Ing-wen. 

O comunicado oficial do gabinete de Nancy Pelosi indicava apenas que a viagem inclui aterragens em Singapura, Indonésia, Malásia e Japão.

A China reclama a soberania sobre a ilha e considera Taiwan uma província rebelde desde que os nacionalistas do Kuomintang ali se instalaram, em 1949, depois de perderem a guerra civil contra os comunistas na China continental. Taiwan, com quem Washington não mantém relações oficiais, é um dos maiores motivos de conflito entre a China e os Estados Unidos, sobretudo devido ao facto de Washington ser o principal fornecedor de armas a Taiwan e de ter declarado que seria o seu principal aliado militar em caso de conflito bélico com o gigante asiático.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados