Mundial 2022: Suíça-Camarões, 1-0 (crónica)

24 nov, 12:09

Filho de leão sabe marcar

A Suíça marcou uma posição de força no Grupo G do Mundial, ao bater os Camarões, por 1-0, precisamente com um golo de Breel Embolo, avançado nascido naquele país africano. Num agrupamento em que o Brasil parte como claro favorito, helvéticos e camaroneses juntam-se à Sérvia na corrida pela segunda vaga que dê acesso aos oitavos. Com este triunfo, a Suíça assume-se como candidata a estar na próxima fase.

Os Camarões, terceiros classificados da última CAN, voltam a perder contra uma seleção europeia, mantendo como único triunfo o 2-1 sobre a Roménia, no memorável Mundial de 90. Já os suíços, que se qualificaram para o Qatar à frente da Itália, mostraram que os recentes triunfos sobre Portugal e Espanha não foram fruto do acaso.

FILME DO JOGO

O plano que Murat Yakin trouxe para a estreia na competição assentava na pressão sobre os defesas camaroneses, de forma a dificultar a saída de bola. Nesse sentido, os atacantes helvéticos estiveram em foco, ao colocarem os centrais adversários em apuros, que se viram obrigados, quer a bater longo, quer a deixar a bola para Andre Onana, guarda-redes com reconhecido bom jogo de pés.

A ideia de contrariar a primeira fase de construção dos africanos, porém, tinha contrapartidas. Quando os Camarões conseguiam ultrapassar esse momento, tinham homens na frente com uma velocidade eletrizante e capacidade de desequilíbrio assustadora. Toko Ekambi acelerava, Bryan Mbeumo bailava perante os adversários e Choupo-Moting deambulava no corredor central. A juntar a isto, o raio de ação alargado de Frank Anguissa aliado à sua potência física permitia que a equipa de Rigobert Song se aguentasse a bom ritmo.

Por isso mesmo, apesar de um período inicial com mais ascendente helvético, os africanos equilibraram forças e até poderiam ter aberto o marcador antes do intervalo.

A «traição» de Embolo

Roger Milla e Samuel Eto’o são dois nomes cravados a letras douradas na história do futebol camaronês. Ainda que sem o brilhantismo e a veia goleadora dessas duas lendas, Breel Embolo também se poderia ter tornado um «Leão Indomável». Nascido há 25 anos na capital dos Camarões, Yaoundé, o atacante veio para o Velho Continente bem cedo e formou-se como futebolista na Suíça. Hoje, derrotou o país natal e sentiu-se na obrigação de pedir desculpa.

A segunda parte ainda estava no começo, quando os suíços decidiram trazer para campo algum do chocolate que levaram para o Qatar, com uma jogada que Embolo finalizou com um remate na área. Seguiu-se um festejo contido e um gesto de perdão.

Foi o estímulo que a Suíça precisava para serenar e mostrar a experiência de que está revestida, com figuras batidas como Granit Xhaka, Freuler ou Ricardo Rodriguez. Os helvéticos, a partir de então, dominaram por completo, somaram várias ocasiões de golo e anularam os camaroneses, que revelaram impotência, não esboçando uma reação firme.

Relacionados

Patrocinados