Ronaldo: «O caso Cristiano está encerrado, falem da competição»

21 nov, 07:43
Cristiano Ronaldo na conferência de imprensa da seleção portuguesa

Capitão da seleção portuguesa explicou os episódios com Bruno Fernandes e João Cancelo e pediu para os colegas não serem incomodados com perguntas sobre o próprio

Cristiano Ronaldo compareceu na manhã desta segunda-feira na conferência de imprensa da seleção portuguesa em Doha, no Qatar, e aproveitou para esclarecer algumas situações que se têm gerado em torno da sua figura nos últimos dias.

O capitão da equipa das quinas explicou, tal como João Mário e Bruno Fernandes já o tinham feito, aquilo que aconteceu na chegada do companheiro do Manchester United à concentração da seleção, depois das imagens divulgadas do cumprimento entre os dois colegas de equipa. Além disso, Ronaldo destacou que esteve a animar João Cancelo durante um treino intenso, após uma entrada dura de João Félix.

«Nestas fases finais, há sempre polémica. Essa do Bruno Fernandes foi mais uma que vos correu mal, vocês falham muito. Fiz uma brincadeira com ele, a minha relação com ele é excelente. Ele chegou tarde porque o avião atrasou e perguntei-lhe se tinha vindo de barco. Foi uma brincadeira e fizeram uma tempestade. Como foi também com o Cancelo. Ele estava um bocadinho triste no treino, após uma entrada mais ríspida do Félix, agarrei-lhe no pescoço e disse ‘Então, pá, bora lá’, a puxar para cima», revelou o capitão de Portugal.

O atacante luso reconheceu ainda que «tudo o que gira à volta do Cristiano é sempre um debate», mas vincou, por mais do que uma vez, que os 26 convocados para o Mundial 2022 estão completamente focados na competição e alheados do impacto da entrevista que concedeu recentemente a Piers Morgan.

«Este é o meu 'timing', não tenho de pensar no que os outros pensam. Tenho a certeza absoluta de que não vai influenciar naquilo que a seleção quer. Todo os jogadores e staff me conhecem, sabem o que sou e penso. Conhecem-me desde os 12 anos e não serão influenciados pelo que os outros dizem e escrevem. O grupo está blindado, confiante e unido, quer muito esta competição. Todos querem jogar, que é algo que gosto de ver num grupo de trabalho que tem a ambição muito alta. Não tenho dúvida nenhuma de que este episódio que ocorreu comigo, ou mesmo outros que vão acontecer a outros jogadores, poderá abalar o próprio jogador, mas não vai abalar o grupo», sublinhou.

Por fim, Ronaldo pediu que os colegas não fossem incomodados com perguntas sobre si próprio.

«O ambiente na seleção é excelente, não há problemas, estamos todos de corpo e alma na seleção, temos o objetivo de ganhar a competição e o grupo está blindado. Aproveito para pedir que, quando vierem os próximos jogadores à conferência, não perguntem sempre sobre o Cristiano. Façam perguntas sobre o Mundial, sobre a expectativa que têm, não falem de mim. O caso Cristiano está encerrado, falem da competição. Perguntarem constantemente sobre o Cristiano é chato. Se alguém me fizesse uma pergunta, por exemplo, sobre o Rafa, eu não respondia, porque é um capítulo encerrado. O selecionador deu uma entrevista e falou desse tema. Perguntem coisas sobre a seleção, gostava que fizessem isso para a seleção estar melhor», concluiu.

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Patrocinados