opinião
Editora Digital

Obrigada, futebol 🐐

18 dez 2022, 18:43
Messi campeão do mundo. Foto: AP

Agora que têm o mesmo troféu, os argentinos lá decidirão quem foi melhor: Messi ou Maradona. Por nós, valeu aquela que até pode ter sido a melhor final de sempre

É vosso, muchachos.

O Mundial é da Argentina, depois de quase três horas de uma final que nos deu tudo.

Deu-nos muito Messi, claro, mas também Mbappé, obviamente. Deu-nos vantagens e recuperações, deu-nos prolongamento e penáltis. Deu-nos as lágrimas de Di María e o desespero de Giroud. Deu-nos a dança de Emiliano Martínez e a Bota de Ouro de Mbappé.

A Argentina está em festa, finalmente, desde 1986 que um país completamente apaixonado por futebol esperava por isto. Há quem acredite que Maradona ajudou lá do céu, há quem garanta que Messi é D10S que chegue aqui na Terra.

A discussão sobre o melhor jogador de todos os tempos até pode continuar, mas agora é tempo de agradecermos por aquela que até pode ter sido a melhor final de sempre.

Ganhou a melhor equipa, que entrou em campo claramente com a missão de fazer história e colocar a terceira estrela na camisola. Ganharam, pela primeira vez, dois jogadores da Liga Portuguesa: Otamendi e Enzo Fernández.

E ganhámos todos, porque o futebol foi justo com Lionel Messi. Os melhores merecem sempre.

Quanto aos franceses, bem, são quatro finais em sete possíveis desde 1998. Não há uma geração desta seleção no século XXI que não seja favorita a ganhar um Mundial. E os 23 anos de Mbappé deixam-nos antever que a história não vai ficar por aqui. É au revoir, no sentido em que temos a certeza que os vamos voltar a ver nestes palcos outra vez.

Opinião

Mais Opinião

Mais Lidas

Patrocinados