Saiba tudo sobre o Euro aqui

Regragui: «Tiki-taka? Não quero ter posse para rematar duas vezes à baliza»

13 dez 2022, 10:54
Walid Regragui

Selecionador marroquino abordou as criticas ao seu estilo de jogo

Depois de bater a Espanha e Portugal, a seleção de Marrocos está nas meia-finais do Campeonato do Mundo, algo inédito para uma equipa africana. A França é o adversário de que segue para os magrebinos, e o selecionador Walid Regragui antevê uma partida complicada, mas avisa que os seus jogadores irão dar tudo para sair com a vitória.

«À medida que a competição avança, fica mais complicado. Vamos jogar contra o campeão mundial, com grandes jogadores, e o melhor treinador do mundo. O nosso foco está em vencê-los e não em ganhar o Campeonato do Mundo. Não estamos cansados, quero deixar isso claro, vamos correr», começou por dizer o técnico de 47 anos, na conferência de imprensa de antevisão à partida frente aos gauleses.

Sobre as críticas ao seu estilo de jogo, Regragui diz que não pretende ter a posse de bola para apenas rematar duas vezes à baliza, referindo que o seu objetivo é a vitória.

«Para quê ter 70 por cento de posse de bola se chutam duas vezes à baliza? Vou dizer ao Infantino para dar um ponto às equipas que excedam os 60 por cento. Estamos aqui para ganhar, não para ter posse de bola. Fala-se do tiki taka, quando se tem jogadores que o podem fazer. Sei que os europeus criticam o nosso jogo, nós temos que ganhar por África», acrescentou.

A partida entre Marrocos e França irá colocar, em lados opostos, os companheiros que equipa no Paris Saint-German, Kylian Mbappé e Achraf Hakimi. Segundo o selecionador marroquino, o seu pupilo está motivado em vencer o seu amigo, num encontro que considera especial.

«Se alguém conhece o Mabppé melhor do que eu, é Hakimi. Infelizmente para nós, não é só Kylian [Mbappé], quando vemos a qualidade de Griezmann entre as linhas, a qualidade de Dembélé, o complemento perfeito de Kylian, quer na direita, quer na esquerda. Não é só Kylian e não teremos um plano especial para anulá-lo. Será um belo duelo entre dois campeões, e o Hakimi está super motivado para vencer o seu amigo», confidenciou.

Regragui, confrontado sobre se seria também um encontro especial para si, por ter nacionalidade francesa também, afirma que apesar de ser uma honra defrontar os campeões do mundo só pensa em vencer.

«É uma honra defrontar a França mas estou aqui como treinador do meu país. Também jogamos contra a Bélgica e a mensagem foi a mesma. Faremos a festa da mesma maneira, o mais importante será vencer o melhor do mundo», concluiu.

Relacionados

Patrocinados