Mundial 2022: Marrocos-Espanha, 0-0 (3-0 g.p.) (crónica)

6 dez 2022, 18:11

No topo do Atlas

Surpresa! 

Espanha está fora do Campeonato do Mundo. «La Roja» voltou a cair de um Mundial no desempate por penáltis tal como havia acontecido em 2018. Mérito de Marrocos, claro, que resistiu como pôde e procurou golpear o oponente sempre que surgia uma nesga de espaço.

Hakimi, com um «Panenka» no desempate por penáltis, expulsou a seleção espanhola do Qatar. E fez-se história: desde 2010 que uma seleção africana não chegava aos quartos de final de um Campeonato do Mundo.

Jogo de resistência

Luis Enrique causou surpresa com a introdução de Llorente - ainda não tinha jogado - como lateral-direito. A ideia era deixar Ferran aberto no corredor e ter o jogador do Atlético de Madrid no corredor central. 

Desde cedo se percebeu que a ideia do selecionador espanhol não iria ter grande sucesso. «La Roja» sentiu dificuldades em superar a organização de Marrocos - sofreu apenas um golo neste Mundial. Ao intervalo, os espanhóis tinham apenas um remate de Gavi à trave que nem contou por fora de jogo e um pontapé de Asensio à malha lateral.

Por sua vez, a seleção africana conseguiu assustar Unai Simón em duas ocasiões por Mazraoui e Aguerd. 

O arranque de segunda parte espanhol foi diferente. Gavi começou a cair mais na esquerda, Olmo fixou-se mais por dentro e Espanha colocou o oponente em dificuldades. Porém, no seu melhor período no tempo regulamentar, não conseguiu marcar.

À medida que o tempo passava, Marrocos recuava cada vez mais. Já com Morata, Nico Williams e Soler em campo, os espanhóis procuraram de todas as formas chegar ao 1-0, mas apenas um remate na passada de Morata assustou Bounou.

Os Leões do Atlas sofreram, perderam Aguerd por lesão e viram Mazraoui sair esgotadíssimo. No fundo, encontraram forças onde estas pareciam não existir e levaram o jogo a prolongamento - mérito de Bounou que fez uma defesa difícil no último minuto após livre de Olmo.

FICHA DE JOGO

Espanha dominou, teve bola e tocou, tocou, tocou, mas sem imaginação ou rasgo para superar os marroquinos. Curiosamente, foi Marrocos quem esteve mais perto de marcar, mas Cheddira não foi capaz de bater Unai Simón.

A emoção do prolongamento estava guardada para o final. Luis Enrique apostou em Sarabia e o ex-Sporting esteve perto de ser herói no último suspiro ao atirar ao poste da baliza de Bounou. Sarabia não foi herói e virou réu no desempate por grandes penalidades.

O jogador do PSG foi o primeiro jogador espanhol a bater e a falhar o penálti. Soler e Busquets imitaram-no. Bounou ascendeu à condição de imortal ao travar três pontapés enquanto Ziyech, Sabiri e Hakimi marcaram: 3-0.

Espanha, fuera!
 

Patrocinados