Afinal, houve protesto. Jogadores britânicos ajoelham-se antes do primeiro jogo no Mundial

21 nov, 16:30

Do outro lado do campo, estava o Irão de Taremi. O jogo ficou 6-2 para os ingleses

Os jogadores ingleses ajoelharam-se em pleno relvado do Estádio Internacional Khalifa, esta segunda-feira, antes do jogo com o Irão, que acabaram por vencer, por 6-2. Tudo aconteceu depois de serem entoados os hinos e mesmo antes do árbitro apitar para o início da partida.

Na conferência de imprensa de antevisão ao Inglaterra-Irão, o selecionador britânico disse que os jogadores se iriam ajoelhar antes do pontapé inicial, explicou o porquê e referiu que este é um ato "importante" para as gerações mais novas e que iria percorrer o planeta por ser feito em pleno Mundial 2022. 

“Discutimos se nos deveríamos ajoelhar e entendemos que sim. É aquilo que apoiamos enquanto equipa, há muito tempo. Claro que percebemos, na Premier League, que os clubes tenham decidido em alguns jogos, em grandes ocasiões, e entendemos que esta é a maior. Pensamos que é uma posição forte que vai circular pelo mundo para os mais novos, em particular, poderem ver que a inclusividade é muito importante”, referiu Gareth Southgate.

O gesto foi um protesto contra toda a forma de discriminação. Note-se que o Catar, anfitrião do Mundial 2022, tem sido alvo de várias críticas, nomeadamente no que diz respeito às suas posições em matéria de direitos humanos e de abuso sobre os trabalhadores migrantes.

A ação surgiu após as seleções de Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Países Baixos e Suíça terem anunciado, em comunicado conjunto, que não vão usar as braçadeiras coloridas nos respetivos jogos do Mundial 2022, depois de a FIFA ter ameaçado que os capitães de equipa poderiam ver cartão amarelo por entrarem em campo com as cores da comunidade LGBTQIA+. Harry Kane acabou por entrar em campo com uma solução alternativa.

Capitão inglês envergou a braçadeira "Não à discriminação" da FIFA.

O capitão inglês entrou em campo com uma braçadeira alusiva à campanha "Não à discriminação", promovida pelo próprio organismo máximo do futebol mundial, mas que estava apenas prevista a partir dos quartos de final.

A Inglaterra estreou-se esta segunda-feira, frente ao Irão de Taremi com uma goleada por 6-1.

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados